Agora estamos sem Jê Fernandes, o criador do Jornal do Ônibus

Jê passa para o Panteon de nossas Lembranças e emoções!

Por SindJor | André Malraux, escritor francês, escreveu em sua vida que o homem tem que merecer sua morte. A frase sempre vem à mente, quando nos deparamos com a morte de alguém querido. “Mereceu a morte? Viveu e realizou em vida obras que justificassem seu viver?

É o caso do jornalista Jê Fernandes (Gonçalo José Fernandes), que nos deixou pesarosos pela figura ímpar que era e pelo profissionalismo que sempre demonstrou. Foi um profissional de quatro costados que ilustrou Cuiabá, Várzea Grande e até o Rio de Janeiro com seu trabalho em rádio, jornal e TV.

Nos deixa pesarosos, com certeza, por antevermos sua ausência nos próximos tempos. Mas, Ge ficará sempre na memória do jornalista, como um ativista sindical, predicado que agregou ao seu profissionalismo.

Segue seu caminho Gê, agora você passa para o Panteon de nossas lembranças e emoções mais puras. Você viveu intensamente e deixa um legado de dignidade pela vida que viveu.

Fonte: Sindjor MT: Jê passa para o Panteon de nossas Lembranças e emoções!

Eis a nota de Pesar do governo de Mato Grosso Assinada pelo GCom

O Gabinete de Comunicação do Governo de Mato Grosso lamenta a morte do jornalista Gonçalo José Fernandes, conhecido como Jê Fernandes. Ele tinha 72 anos e faleceu na madrugada desta terça-feira (24.10), em Cuiabá.

O secretário de Comunicação Kleber Lima recebeu com pesar a notícia do falecimento do colega de profissão. “Jê Fernandes foi um ícone do jornalismo em Mato Grosso. Com seu carisma e irreverência, atuou de forma aguerrida na busca pela informação de forma ética e responsável. Contribuiu também na formação de muitos jornalistas que atuaram ao seu lado e puderam absorver um pouco seu conhecimento. Que sua família receba nossas condolências e que tenha forças para superar esse momento de tristeza e dor”.

Jê Fernandes atuou em diversos veículos de comunicação como os jornais Estado de Mato Grosso e Diário de Cuiabá, além de ter sido correspondente de veículos de comunicação nacionais como a revista Placar e o jornal O Globo. O velório está previsto para começar às 12h na Sala Tulipa, na Capela Jardins, na capital.

Este repórter com o criador do “Jornal do Ônibus”, Jê Fernandes

Share Button