Ai!, Quanta Mentira

Ai, quanta mentira 
falta de vergonha, sei lá 
um cinismo sem fim 
seja deste ou daquele 
lado da mesma moeda 
todos são como que 
acreditassem que a mentira 
fosse a única saída 
Ai, quanta mentira 
lero-lero feito bolero 
dois pra lá, dois pra cá 
todos se fazendo de inocentes 
de uma misantropia sem par 
como se, quem ouvisse, 
por obrigação de ouvir 
tem que acreditar, que belo. 
Ai, quanta mentira 
Parece uma disputa 
vil disputa, para quem 
tem mais “coragem” 
de aparecer mais Pinóquio 
no vídeo da tevê 
em todos os lares… 
Ai, quanta, quanta 
mentira… Por favor 
esqueça o troco, se 
palermas somos da mesma ópera 
como todos os brasileiros. 
2005
Poemas de João Bosquo
Share Button