Amanhã é outro dia doutro ano

Amanhã, as mesmas horas, é outro dia, outro mês
e, sem esquecer, outro ano de nossas vidas
Com o novo ano que começa novos projetos
outros planos de recomeçar tudo outra vez

Sem querer olhar (mas olhando) pro espelho
do tempo que transforma moço em velho
Fatos, acontecimentos viram lembranças
numa inexorável inevitabilidade cósmica

Assim como nós, embora num tempo maior,
as estrelas vivas e cadentes, sóis azuis
nuvens e galáxias inteiras envelhecem

O ano que ficou velhinho, 2010, passou
a ele soma a existência da humanidade
e assim caminha com nossos próprios passos.

Cuiabá, 31 de dezembro de 2010
><>Com este poema desejo a todos, amigos, amigas, companheiros, parentes e colegas, um feliz 2011.

Share Button