Ano Novo se Repete, também se Renova

O ano novo começa em primeiro de janeiro
E os anos, desde antes de nós, tem doze meses…
Os meses são os mesmos, os eventos reprisam
Em primaveras, verãos, outonos e invernos…

Tudo se repete… Mas, repara, nada é igual
A vida é um ciclo, círculo, só que em espiral
Tudo muda, tudo se transforma, tudo melhora
Com o passar dos anos, dos dias, das horas

Nada, absolutamente nada, permanece no lugar…
Portanto é semelhante, entretanto é diverso,
Se parece, mas é diferente, é par, mas não é espelho

Tudo se repete, mas está em movimento
Nessa eterna mudança de lugar, de itinerário…
Nada e tudo têm sentido dentro do Universo.

><>Mais um poema repetido. Este faz parte do livro ‘Imitações de Soneto’. Se vc não leu, procure ler. Tenho alguns exemplares para distribuição.

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR

Você pode gostar...