Camisa Nove – uma imitação de soneto

O camisa nove se despede com gols perdidos…
Os lances não se materializaram
Nenhum gol perfeitizou as jogadas
Embora não sejam inúteis, ao contrário…

O camisa nove se despende com gols lembrados
Memoráveis gols decisivos, históricos, até,
E estão guardados em videoteipes torcedores
Como são -uma não metáfora- cenas digitais

O camisa nove se despede com a camisa amarela
Solene camisa canarinho de vários intérpretes
Os quais, embora ausentes, deixaram suas marcas

A camisa nove é mais que perfeita, como um soneto,
Apenas a forma de si mesma, mas o que importa
Além dos gols é o caráter, a honra, a essência em si.

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...