Category: Opinião Personalizada

Opinião pessoal e intransferível sobre um assunto específico.

José Antônio Lemos: Cabe ao arquiteto e urbanista informar a população sobre as potencialidades; no caso de Cuiabá sua principal vocação é ser um grande encontro continental de caminhos

Arquitetos, voos e ferrovias Por José Antônio Lemos | A quantas anda o voo Cuiabá–Santa Cruz? Antes pergunto, o que tem a ver arquiteto questionando sobre ferrovias, aeroportos ou rodovias? A proximidade do Dia do Arquiteto, dia 15 de dezembro, é boa para tentar esclarecer o que faz e pode fazer o profissional arquiteto e urbanista, atribuições não muito claras

Share Button
Continue lendo

José Antônio Lemos questiona o pouco caso da mídia, das autoridades e liderenças políticas mato-grossenses fazem em relação aos eventos relacionados a construção da ferrovia até Cuiabá

A NOTÍCIA DO ANO Por José Antônio Lemos | A ótima notícia para fechar o ano veio de Nova Mutum para Mato Grosso inteiro e, em especial para Cuiabá, Várzea Grande e toda a Baixada Cuiabana com o fórum “Ferrovia e Integração de Modais”, promovido pelo prefeito daquela cidade, Adriano Pivetta. Insisto na questão da ferrovia em Mato Grosso, por tratar-se

Share Button
Continue lendo

Os Trilhos do Bom Senso – Por José Antônio Lemos

Por José Antônio Lemos | No dia 23 de novembro passado durante o fórum “Ferrovia e Integração dos Modais” em Nova Mutum foi defendida a extensão da ferrovia de Rondonópolis até Nova Mutum, passando por Cuiabá, que já devia ser realidade a muito tempo. No evento estiveram presentes autoridades de peso no assunto como o governador do estado e os presidentes

Share Button
Continue lendo

O blogueiro Enock Cavalcanti comenta as revelações de Pedro Nadaf e José Riva sobre as indicações para ocupar as vagas de conselheiro o TCE/MT

Nadaf e Riva Por Enock Cavalcanti | Meus amigos, meus inimigos: a gente se impressiona com as patifarias articuladas, ao longo dos anos, em torno do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso. O que nossas elites predadoras fizeram com esta corte espanta pela ousadia, pelo despudor. Agora nos aparece este corrupto confesso que é o sr. Pedro Nadaf, filho

Share Button
Continue lendo

República, Sidney e Bruna Viola – Por José Antônio Lemos

Por José Antônio Lemos | Ia escrever sobre nossa finada República na passagem de mais um aniversário de sua proclamação a 15 de novembro. Torci para que nesse dia acontecesse algum sinal de saudade cidadã pela falecida, de lamento pelo seu passamento e desse choro surgisse algum brado pela sua reproclamação, agora forte e renovada, ela que sempre se mostrou

Share Button
Continue lendo

Eduardo Mahon faz picadinho de Ives Gandra Martins que se diz discriminado e não sabe como viver no país, pois não é negro, homossexual, índio, assaltante, guerrilheiro e nem invasor de terras, esquecendo-se apenas de dizer que é rico

A difícil vida do branco, hetero e rico O Ives Gandra não é negro, nem homossexual, nem índio, nem sem-terra e pergunta como vai fazer para viver no Brasil nos dias atuais. Alega o renomado tributarista que, de certo modo, virou minoria. Por um momento, fiquei com pena de Ives Gandra. Ele, coitado, é mesmo franca minoria em nosso país.

Share Button
Continue lendo

Bizarro, muito bizarro, no Brasil quando vai punir os atos de corrupção o primeiro da lista é a obra, ou seja o povo

><>Este recorte é de uma artigo de José Antônio Lemos, “A Copa e a Arena“, publicado neste Namarra em outubro de 2013, no qual critica o arcabouço da legislação das concorrências públicas no Brasil. Não mudou nada de lá pra cá. Esse modelo arcaico é que dá – na nossa modesta opinião – suporte ao desastre que foi a Lava-Jato.

Share Button
Continue lendo

Sobre quem faz e fica e quem fala e passa… – Por Eduardo Mahon

SOBRE QUEM FAZ E FICA E QUEM FALA E PASSA… A propósito de políticas públicas, quero chamar atenção para a diferença entre quem faz e fica nos registros históricos e quem fala demais e acaba sendo esquecido. Sobre a educação musical cuiabana, por exemplo, grandes nomes ensinaram o povo a entender e apreciar música de qualidade: Zulmira Canavarros, Maria Benedita

Share Button
Continue lendo

Joaquim Murtinho – Artigo de José Antônio Lemos

Por José Antônio Lemos |“Quem morre em Cuiabá, morre para sempre”, mais ou menos assim se referiu Estevão de Mendonça à peculiaridade cuiabana de esquecer seus vultos, os quais além de morrerem de corpo morriam pelo esquecimento. E ainda morrem. Mais que morto, o finado é esquecido na memória de seus conterrâneos, “mortinho da silva”. Confirmando o pai de Rubens

Share Button
Continue lendo

A velhice chega para todos: Ziraldo, criador do Menino Maluquinho, faz 85 anos

Em entrevista a um jornal de S. Paulo, o escritor, cartunista disse que a velhice chegou com os 85 anos. Um dia ele acorda e tropeça no rejunte do piso porque estava andando arrastando os pés.

Share Button
Continue lendo

A classe dominante brasileira, segundo Darcy Ribeiro

 

Share Button
Continue lendo

Maravilhas em Risco (parte 2) – Artigo de José Antônio Lemos

Por José Antônio Lemos | O presente é o futuro que chegou rápido, passou depressinha e virou passado. Ainda me lembro lá por 77 ou 78 em um banco à frente a de um hotel de madeira em Sinop ainda embrionária, conversando com o saudoso dr. Fernando Sarmento, ele então técnico da Funasa e eu da Sudeco. Flamenguista doente, enquanto ouvia

Share Button
Continue lendo

A sabedoria de Ariano Suassuna nos ensina como devemos falar mal das pessoas

Ziraldo conta que ele e Zuenir Ventura foram conversar com Ariano Suassuna, em Recife, capital de Pernambuco. Segundo Ziraldo, nessa conversa ele falou mal de todo mundo que pôde, falou tanto que chegou uma hora riu para burro e falou “a melhor coisa do mundo é falar mal dos outros, né?”. A mesma assertiva disse ao Jô Soares, quando este

Share Button
Continue lendo

Renato Nery e Jayme – Artigo de Enock Cavalcanti

Por Enock Cavalcanti | Meus amigos, meus inimigos: o advogado Renato Gomes Nery, com a responsabilidade de quem já foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, em Mato Grosso, e sempre perfilou no grupo dos progressistas, entre nossos operadores do Direito, escreveu um artigo em tom solerte, manhoso, velhaco, para defender uma possível candidatura do ex-senador, ex-governador, ex-prefeito e

Share Button
Continue lendo

Maravilhas em Risco – Por José Antônio Lemos

Por José Antônio Lemos | Mato Grosso é rico em belas atrações naturais ou construídas pelo homem. Dentre estas estão as cidades geradas pelo agronegócio, novas cidades reconhecidas nacional e internacionalmente por sua organização urbanística, elevados padrões de vida e IDHs permitidos com certeza por suas rendas per capita bem superiores à média nacional decorrentes de seus altos níveis de produção

Share Button
Continue lendo

Os gênios dificilmente se enganam: Chico Anysio sabia quem era João Dória assim que apareceu

O humorista Chico Anísio (1931-2012) em seu programa “Chico Anysio Show”, de 1988, faz um esquete com a proposta do então presidente da Embratur, João Dória Jr., que no ano anterior tinha feito uma proposta para lá de estapafúrdia para atrair turista para o Nordeste. Na verdade não se trata de uma piada, mas de uma crítica. Chico Anísio, na

Share Button
Continue lendo

Monumentos Iluminados – Por José Antônio Lemos

Por José Antônio Lemos dos Santos | No Dia das Crianças estive na Arena Pantanal com meu filho e netos de Brasília. A Arena estava com sua máscara solar iluminada como deveria estar todas as noites. Ainda que a iluminação estivesse com algumas falhas estava maravilhosa como uma nave extraterrestre pousada em solo cuiabano. Lembrou aquele contato imediato de primeiro

Share Button
Continue lendo

Saber o lado do qual se está é uma receita que vale uma vida: Darcy Ribeiro sabia

 

Share Button
Continue lendo

Reforma e Listas Ocultas – Por José Antônio Lemos

Por José Antônio Lemos | Enfim a montanha pariu! Não se esperava mais que um rato. Até evito dizer o que veio à luz em respeito à instituição Congresso Nacional. Fora o deboche dos políticos com o povo brasileiro, só mexeram naquilo que lhes interessava. Primeiro, assegurar a grana para esbanjarem em suas campanhas, pois nem mesmo o maior dos caras

Share Button
Continue lendo
Flor Ribeirinha

O que será de nós? – Por João Eloy, o Doutor do Rasqueado

Por João Eloy de Souza Neves | Neste momento difícil que todos nós artistas da música mato-grossense estamos atravessando em total desamparo, dou calorosos aplausos ao ilustre jornalista paulista da “Coluna Canal 1” do jornal “A Gazeta”, Flávio Ricco. Em desabafo disse, em letras garrafais: “Beira a imoralidade a apropriação do rádio e da TV pelas igrejas.” Em seu artigo

Share Button
Continue lendo

Por que o desprezo institucional para com o Centro Histórico de Cuiabá, Patrimônio Histórico Nacional tombado pelo IPHAN? Pergunta o arquiteto cuiabano José Antônio Lemos, entre outras questões

Por que? Por José Antônio Lemos |Mil perguntas em busca de respostas aquecem a cabeça das pessoas. Este artigo é dedicado a algumas delas. Nem serão abordadas questões tidas como mais complexas tais como quando a ferrovia chegará a Nova Mutum passando por Cuiabá, ou quando o Brasil terá uma verdadeira reforma política? São abordadas aquelas aparentemente mais simples e

Share Button
Continue lendo

O afastamento de Kleber Lima – por Jorge Maciel

Por Jorge Maciel | Nas pouco mais de três décadas no diletantismo como repórter, chefe de reportagem, editor de área e diretor de redação de jornais e sites diários em Goiânia e Cuiabá já me deparei com inúmeras decisões judiciais esquisitas, permissivas, mornas e injustas – propriamente dito, mas nenhuma que se compare à da juíza Célia Vedotti, ao ter afastado o

Share Button
Continue lendo

Parindo o Contemporâneo – Por Eduardo Mahon

Por Eduardo Mahon | O Grupo ECCO da Universidade Federal de Mato Grosso pariu mais um trabalho acadêmico que faz jus à interdisciplinaridade a que o grupo de estudos contemporâneos se presta. A mestranda Raquel Mützenberg apresentou sua dissertação, acolhida por plateia lotada. Basicamente, os estudos (e práticas) da expositora dão conta da ressignificação do corpo no contemporâneo teatro de bonecos,

Share Button
Continue lendo

Janot sai mesquinho, do mesmo modo que entrou – Artigo de Eugênio Aragão

Por Eugênio Aragão | Quem leu a notívaga mensagem de despedida de Janot aos colegas pôde até se convencer de que ele nada tem a ver com o estado de caos que deixou no País, tal a força das palavras que usou, com a mesma prosódia de seu patético “Corrupção, Nãããão“, chororô com que se lançara na campanha de destruição da

Share Button
Continue lendo

O Moralista no Divã – Por Eduardo Mahon

  Há fobias de muitas naturezas. Coincidem, no entanto, com a aversão a alguma coisa: lugares abertos, aglomeração de gente, micróbios, lugares escuros ou apertados. Há fobias que passam despercebidas e foram naturalizadas – fobia de barata, de cobra, de lagartos, enfim. Outras são sazonais na história da humanidade: fobia de um determinado povo, língua ou território. Finalmente, há aversões

Share Button
Continue lendo

Uma Faculdade no Centro Histórico – Por José Antônio Lemos

Por José Antônio Lemos | Recordo o ex-prefeito de Cuiabá, o saudoso coronel José Meirelles, militar por formação, seguidor de Pietro Ubaldi e kardecista convicto. Nada tinha a ver com o atual estilo de política que já se manifestava àquela época, e por isso nela não deixou herança. Quando prefeito tive o privilégio de ser seu assessor direto como secretário.

Share Button
Continue lendo

Viviene Lozi, em sua página no Facebook, se diz cansada

Tudo isso está me cansando: 1º expo. Santander; 2º Homossexualidade é doença; e 3º Falta de entendimento para ler uma obra de arte. A perversão está na cabeça de quem protesta sem entender a mensagem que está por trás da obra de arte do artista Gervane de Paula que faz uma crítica feroz e real a situação degradante que vivem os usuários

Share Button
Continue lendo

O que é ser um delator? Bemvindo Sequeira faz o retrato falado, triste retrato, do dedo-duro

O ator Bemvindo Sequeira fala sobre delatores Afranio Silva Jardim,  professor de Direito no Rio de Janeiro, ex-promotor de Justiça, em sua página do Facebook avalia o presente vídeo com uma sentença: MUITO BOM. E acrescenta: No final das contas, as pessoas estão sendo humilhadas e estão perdendo a própria dignidade. Na Lava Jato, as pessoas estão “rastejando” em prol

Share Button
Continue lendo

A Era Janot: os crimes da assim chamada Operação Lava Jato

Por Fuad Faraj  | São esses novos tempos que colocaram essa notável corporação de Estado, o Ministério Público Federal, sob o olho alucinado do Big Brother, impondo-lhe correr atrás de likes nas redes sociais, da aprovaçao de Dom Mercado, de bilionários donos de imprensa e de vários Departamentos e agências americanas com quem, formal ou informalmente, mantém cooperação internacional. Em benefício

Share Button
Continue lendo

O jornalista Fernando Brito, em seu Tijolaço, chama Rodrigo Janot de covarde e quer se limpar na mídia acusando Dilma e Lula

Janot, covarde, quer se limpar na mídia acusando Dilma e Lula POR FERNANDO BRITO  | A desmoralização da Procuradoria Geral da República o faz buscar, rápido, a recuperação de sua imagem diante da mídia. Claro, usando os alvos dos quais a mídia gosta: Lula e Dilma. Apresentou ao STF o pedido de abertura de inquérito contra ambos, Edinho Silva, João Vaccari, Antonio

Share Button
Continue lendo