Precisamos LER e compreender a Carta Testamento de Getúlio Vargas para entender o que acontece com o Brasil

><> Precisamos reler a CARTA TESTAMENTO de Getúlio Vargas. De preferência e voz alta para que, além de nossos ouvidos, possa tocar mais fundo nossas almas.

Carta Testamento – Getúlio Vargas

Mais uma vez as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam; e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes.

Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci.

Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo.

A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a Justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios.

Quis criar a liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobras, mal começa esta a funcionar a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre, não querem que o povo seja independente.

Assumi o governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano. Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano. Veio a crise do café, valorizou-se nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia a ponto de sermos obrigados a ceder.

Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo e renunciando a mim mesmo, para defender o povo que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar a não ser o meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida.

Escolho este meio de estar sempre convosco. Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos.

Quando vos vilipendiarem, sentireis no meu pensamento a força para a reação.

Meu sacrifício vos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com perdão. E aos que pensam que me derrotam respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo, de quem fui escravo, não mais será escravo de ninguém.

Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue terá o preço do seu resgate.

Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história.

(Rio de Janeiro, 23/08/54)

PS: Aos professores de língua portuguesa a sugestão para que se adote o texto como suporte para análise textual, coesão e sintática.

Share Button

“A vida está em suas mãos” é o tema da Campanha em Favor da Vida

Da Assessoria | A Campanha em Favor da Vida acontece todos os anos em todas as Casas Espíritas ligadas ao movimento Auta de Souza. Ela tem início duas semanas após o carnaval e encerra 12 semanas depois, com ênfase ao aborto.

O tema da campanha este ano é “Aborto, não! A vida está em suas mãos”.

Irmão Lix, em mensagem, questiona “Se, de acordo com a Lei 9605/98 (lei de crimes ambientais), que dispõe que prender um passarinho é crime inafiançável. Então, porque legalizar o assassinato do próprio filho indefeso que não tem para onde correr e nem como gritar? Será que as aves valem mais que a espécie humana?”, questiona. Ele diz ainda “o aborto provocado, mesmo diante de leis e regulamentos humanos que permitem, é um crime hediondo perante as leis divinas que são eternas e imutáveis”, lembra.

A Campanha em Favor da Vida também tem como foco a questão do suicídio.

A campanha encerra com uma grande mobilização na área central de Cuiabá, no próximo dia 26, sábado, a partir das 9 horas, quando voluntários do Grupo Fraterno de Cuiabá e Várzea Grande distribuirão mensagens em defesa da vida, evangelhos e realização palestras.

Este ano a mobilização será nas Praças Alencastro e da República.

Share Button

Seduc/MT estuda projeto de escola indígena sustentável em parceria com a ONU

Da Assessoria | A construção de uma escola indígena modelo, com arquitetura sustentável e construída com mão de obra e matéria prima local, foi tema de reunião entre o governador Pedro Taques, secretário de Educação Marco Marrafon e especialistas do Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (Unops). O encontro foi realizado nesta terça-feira (27.02), no Palácio Paiaguas e foi acompanhado por uma equipe técnica da Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Seduc).

O planejamento vai além da estrutura educacional e visa uma área de convivência indígena, preservando sua identidade cultural. Responsável pelo projeto em parceria com a Seduc, o Unops trabalha em aproximadamente 80 países e tem experiência em projetos de construção em áreas de difícil acesso. Em abril os especialistas da ONU irão até o Xingu, na etnia Waurá, onde será construída a escola modelo, para conhecer a realidade, princípios e valores do seu povo.

Nesta semana, os representantes da ONU realizarão um workshop como forma de capacitar os técnicos da Seduc em projetos de edificação verde e sustentabilidade, observando o meio ambiente, cultura e aspectos sociais. “É importante entender a infraestrutura sustentável, planejar, fazer um desenho adequado, construir, operar e manter. Temos vários exemplos no mundo inteiro de como podemos apoiar o governo no desenvolvimento da capacidade técnica, particularmente na fase de planejamento e de desenho dos projetos. Estamos muito felizes de estar aqui e ajudar em um projeto como este”, ressaltou o Diretor Global de Infraestrutura do Unops, Steven Crosskey.

O governador Pedro Taques destacou a importância da comunidade indígena para o estado de Mato Grosso, um dos que possuem maior diversidade de etnias do Brasil, e da parceria com o Unops. “Temos mais de 45 mil índios e entendo que o estatuto indígena está ultrapassado. A educação é o melhor caminho, com construções de escolas que respeitem a forma de viver e a estética de cada povo. Esse projeto de arquitetura sustentável é muito importante, pois preserva as características e traços culturais. A arquitetura é um objeto de transformação”.

Projeto Escola Sonhada

O Projeto ‘Escola Sonhada’, um desejo antigo dos indígenas, vem sendo planejado pela Seduc há alguns anos. Para que saia do papel, a secretaria buscou parcerias não remuneradas com diversos órgãos além do escritório da ONU, entre eles Ministério Público Estadual, Fundação Nacional do Índio (Funai), Ministério da Educação e associações indígenas. O projeto que será realizado no Xingu, de forma inovadora e diferenciada, será modelo para outras escolas indígenas e comunidades quilombolas.

O secretario adjunto de Obras da Educação, Alan Porto, que está a frente do projeto, pontuou que há dificuldade em relação a construção sustentável e a logística, já que muitas das 70 escolas indígenas ficam fora da rota terrestre. “Hoje achar uma empresa de estrutura convencional para executar esse serviço é complicado, esbarramos na questão de logística, já que transporte de material para muitas aldeias é fluvial. Dessa forma nosso pensamento para a construção verde, sustentável, é o mutirão, com mão de obra indígena remunerada. Uma construção convencional, de alvenaria, sai em torno de R$2 milhões. Mas esse projeto sustentável com mão de obra e matéria prima local terá um custo estimado de R$600 mil”.

Alan explicou que o envolvimento indígena no projeto gera sensação de pertencimento, com uma arquitetura que remete as origens e ao cotidiano das etnias, já que o espaço, além de escola, será usado também como centro de convivência social. Em reunião com os indígenas foi decidido que a construção terá formato de cocar, com pinturas típicas na parede e objetos, como pias, em cerâmica.  “As tecnologias que foram desenvolvidas por eles serão herdados na arquitetura da obra. Será um centro de convivência e o espaço poderá ser usado para fazer vários eventos da comunidade, apresentar o artesanato, uma forma de valorizar a cultura. Teremos alguns consultores que estarão ali capacitando esses índios, na realização dessa obra”, afirmou. (Texto: Renata Prata/GCom)

Source: Em parceria com a ONU, Seduc estuda projeto de escola indígena sustentável – Notícias – mt.gov.br

Share Button

Projeto Ciranda Mulher no Pedra 90 debate a situação da mulher nos dias de hoje

Do Namarra | Saúde, justiça social, cultura, empoderamento e emancipação feminina; arte, musicoterapia, socialização, terapias estes são os temas e atividades que o Ciranda Mulher levará a comunidade do Pedra 90 e região, no próximo dia 4 de março, domingo, das 08h30 às 11h00 na Escola Estadual Rafael Rueda.

O Projeto Ciranda Mulher acredita que a troca de experiência entre as mulheres vítimas de violência e o acesso a informação contribuem no processo de autoconhecimento, emancipação feminina e justiça social.

A facilitadora Isis de Castro, moradora do bairro e pesquisadora do Direito das Mulheres, diz que o projeto é uma iniciativa que visa a democratização e mesclagem da arte, da psicologia e da justiça para mulheres do Pedra 90 e região, com a proximidade do Dia das Mulher, que será comemorado com arte, amor, dinâmica-terapia e justiça social.

“A beleza do evento reside, na sua essência, em forma de Ciranda, que é um movimento circular, despertar a união, o interesse pelo debate e, consequentemente, a busca por seus direitos”.

No evento, o painel “O Defensoria Até Você”, com a participação da defensora pública Rosana Leite, especialista em proteção ao direito da mulher e família; “A força da Mulher”, com a palestrante Esther Salomão; “Autoestima e Identidade”, com a psicóloga Marli Pegorini; “O que sabemos sobre feminicídio?”, palestra e bate papo com Cláudia Cristina Carvalho, doutora em Educação-UFMT.

Para completar as atividades, musicoterapia, com Josilaine Virmieiro e Camila Kalix; samba de roda, com Érica Salles e Ísis Castro; exposição de artes plásticas com o tema “Raízes”, com trabalhos de Gilda Portella, Meg Marinho e Paty Wolff; e a programação encerra com “Heroínas Negras”, pelo Coletivo Negro Universitário da UFMT.

Apoio da Rádio Megapop, Escola Estadual Rafael Rueda, Defensoria Pública e profissionais voluntários: psicólogos, advogados, sociólogos, assistentes sociais e psicoterapeutas que atenderão gratuitamente. (Com material da Assessoria)

Share Button

PMC inicia implantação de programa de recuperação de nascentes urbanas e ficamos na torcida que o programa chegue no Nova Conquista, nascente do Ouro Fino

Por Bruno Vicente | Buscando assegurar o desenvolvimento hídrico sustentável, bem como evitar possíveis complicações com o abastecimento de água potável na Capital, a Prefeitura de Cuiabá deu início a implantação de um programa de recuperação e preservação de nascentes distribuídas na área urbana da cidade. A ação faz parte de uma parceria firmada com o Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE-MT) e tem como ponto de partida a nascente do Córrego Gumitá, no bairro Morada do Ouro.

Por meio do projeto “Água Para o Futuro”, que conta ainda com a participação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Instituto Ação Verde, e Águas Cuiabá, a gestão irá trabalhar, não só na recuperação da fonte, como também realizará o serviço de urbanização da área verde, que possui cerca de três hectares. A execução da medida foi iniciada nesta semana, onde está sendo feito o trabalho de limpeza de todo a extensão territorial.

O plano de ação foi definido nessa segunda-feira (06), em reunião realizada entre as instituições participantes, onde ficou estabelecido os detalhes que nortearão a implementação do planejamento. No caso do bairro Morada do Ouro, a área contará com dois espaços distintos, sendo um reservado especificamente para reabilitação e conservação da nascente, e outro destinado para que sejam oferecidas alternativas de recreação e lazer à população.

“É uma proposta da Promotoria de Defesa Ambiental, sob o comando do promotor Gerson Barbosa, no qual o prefeito Emanuel Pinheiro nos autorizou a abraçar e realizar esse trabalho em conjunto. Tanto é que já colocamos nosso maquinário para trabalhar no local. Esse será um grande presente para toda região da Grande Morada da Serra, pois nesse espaço, as pessoas poderão, com toda segurança e tranquilidade, fazer exercícios físicos, contemplando uma linda paisagem”, comentou o secretário municipal de Serviços Urbanos, José Roberto Stopa.

O secretário explica ainda que, conforme prescrito no projeto, o território contará com uma pista de caminha e corrida com 700 metros de extensão, playground, estacionamento, relógio solar, pergolado de madeira, academia ao ar livre, praça mundo, dentre outros equipamento que farão com que o local se torne um espaço totalmente sustentável e pronto para o uso do cidadão.

“Se continuarmos a dar o tratamento que estamos dando hoje as nascentes existentes em Cuiabá, acreditamos que em cerca de 20 a 30 anos podemos ter problemas com a água potável. É só perceber que os córregos e riachos que cortam Cuiabá estão sendo degradados. Por isso o Município, nessa parceria com o Ministério Público, começa a mostrar para o cidadão cuiabano a preocupação com a preservação e com o futuro do povo cuiabano. É o princípio da humanização que a nossa gestão defende”, disse Stopa.

O titular da pasta de Serviços Urbanos destaca ainda que a nascente do Córrego Gumitá foi escolhida como plano piloto, dentro do programa de recuperação, que irá ser ampliado para outras regiões da cidade. Dentro desse trabalho, o secretário ressalta ainda a fundamental necessidade de engajamento da população para o desenvolvimento de uma cidade que respeita e preserva o meio ambiente.

“O cidadão também pode colaborar com essa preservação, contribuindo denunciando aqueles que praticam degradação como, por exemplo, invasões dessas áreas. Temos que ter dois tipos de comportamento nesse momento onde as pessoas praticam uma série desrespeitos as normas. Todo cidadão tem que ser fiscal e contribuir com cuidar, fazendo sua parte. O munícipe pode ajudar não jogando lixo no chão, fazendo o reaproveitamento de mateiras que ainda possam ser reutilizados, enfim, adotando um conjunto de práticas sustentáveis que irão melhorar a cidade como um todo”, pontuou Stopa.

><>No Bairro Nova Conquista, nas proximidades do núcleo Serra Azul I e II, existem dois ou três olhos d’água. Ao lado está sendo construída uma unidade do PSF, mais à frente ‘sem tetos’ (?) estão invadindo a reserva denominada APP (área de preservação permanente) justamente por conta dessas nascentes do Córrego Ouro Fino. 

Share Button

Etapa escolar da Conferência de Meio Ambiente tem início e participação de mais de 2,6 mil escolas mato-grossenses

Da Assessoria | Mais de 2,6 mil escolas de Mato Grosso foram convidadas para participar da Conferência Nacional Infanto-juvenil pelo Meio Ambiente. O evento é uma iniciativa dos Ministérios da Educação (MEC) e do Meio Ambiente.

Em Mato Grosso, as etapas: escolar, regional e estadual serão coordenadas pelo Núcleo de Educação Ambiental da Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), em colaboração com a Comissão Organizadora Estadual (COE).

De setembro a outubro, a Seduc fará a formação e mobilização nos 15 polos do Estado. Com o tema “Vamos Cuidar do Brasil cuidando das Águas”, a 5ª edição segue com o seu caráter pedagógico de trazer a dimensão social e política do meio ambiente. Nesta edição, a questão da água como um recurso finito norteará os diálogos realizados nas escolas.

O tema se insere no contexto da realização do 8º Fórum Mundial da Água, que será realizado em Brasília, em março de 2018. Um dos principais objetivos do evento é fomentar o debate e a pesquisa de soluções para os problemas socioambientais, respeitando e valorizando o protagonismo juvenil.

A Conferência envolverá todas as escolas de Mato Grosso, tanto as estaduais, municipais, federais e da rede privada. Ela será realizada em quatro etapas, Escolar, Regional, Estadual e Nacional. A etapa na Escola – momento em que estudantes, professores e demais interessados reúnem-se para dialogar sobre como transformar sua escola – será realizada até o dia 30 de novembro.

Cada escola elaborará um projeto de ação, de acordo com os conhecimentos adquiridos no cotidiano escolar e nos materiais encaminhados para a conferência, a ser colocado em prática após o evento; criará um material de Educomunicação para divulgar o projeto; elegerá um delegado ou delegada (e suplente); e compartilhará o resultado do trabalho coletivo com outras escolas e com a comunidade.

A etapa estadual será realizada em fevereiro de 2018. No entanto, os delegados e seus suplentes eleitos deverão estar cursando do 6º ao 9º ano até o período da conferência Estadual – e ter entre 11 e 14 anos no período da etapa final da (V CNIJMA).

Os projetos de ação serão apresentados e debatidos na Conferência Estadual. Os delegados e delegadas presentes escolherão projetos que considerarem mais relevantes, transformadores e que possam ser realizados para leva-los para a etapa nacional, prevista para março de 2018. (Gustavo Nascimento | Seduc-MT)

Outras informações poderão ser adquiridas pelo site http://conferenciainfanto.mec.gov.br ou pelo e-mail educacao.ambiental@seduc.mt.gov.br.

Share Button

OAB-MT promove reunião contra a censura

Da Assessoria | A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), por meio da Comissão de Cultura e Responsabilidade Social, promove uma reunião pública de manifesto contra a censura às artes e liberdade de expressão.

No início desta semana, um quadro que integrava o painel do artista plástico Gervane de Paula em uma exposição coletiva em um shopping da Capital foi retirado após a reclamação de um cliente.

A polêmica acerca da censura a obras de arte veio à tona no início da semana passada quando o Santander Cultural decidiu cancelar a exposição “Queermuseu – cartografias da diferença na arte brasileira”, em Porto Alegre, depois de protestos e boicote de clientes da instituição financeira.

Atualmente, a Galeria Silva Freira, na OAB-MT, recebe a exposição do artista plástico Amâncio Ribeiro, que em seu acervo, conta com a tela “180 Dias de Corrupção”. Esta foi a primeira vez que ele expôs o trabalho ao público, pois conta que, durante sua execução, chegou a sofrer um atentado que visou destruir a tela.

Amâncio Ribeiro chegou a ser exilado do país quando, durante o regime militar, pintou um quadro retratando a fome. Em seu retorno ao Brasil, o baiano se radicou em Cuiabá e conta com telas que retratam recentes escândalos políticos e a religiosidade, além de contar a história de Cuiabá, mostrando como surgiu, por exemplo, a Praça da Mandioca.

No ano passado, a Galeria Silva Freire reabriu suas portas ao grande público recebendo a exposição “Cinco Elementos do Cerrado”, do fotógrafo Tchelo Figueiredo. As fotos de nudez feminina foram retiradas de exposição de um shopping center da Capital após reclamação dos clientes.

Com a intensificação das ações de protesto, boicote e censura às manifestações artísticas, a Comissão de Cultura e Responsabilidade da OAB-MT promove uma reunião na próxima quarta-feira (27), às 16h.

De acordo com o vice-presidente da OAB-MT e presidente da comissão, Flávio Ferreira, a finalidade é reunir artistas, profissionais da advocacia e a comunidade em geral para discutir a intransigência que tem se repetido no cenário cultural mato-grossense.

“É uma pressão pequena e que começou a ganhar corpo e isso é muito perigoso”, alertou Flávio Ferreira. Ele ressalta que a OAB-MT, ao longo de sua trajetória, sempre agiu em defesa das liberdades democráticas.

O vice-presidente da OAB-MT pondera que é preciso debater e refletir o que está acontecendo. “Não podemos ficar tranquilos quando se impõe censura à arte principalmente. Então, a finalidade desse encontro é definir como a sociedade pode agir para que atitudes de censura não se perpetuem num ambiente democrático tão duramente conquistado”, disse.

Share Button

Pantanal Shopping retira quadro de Gervane de Paula da mostra “Eu Amo Cuiabá”

Obra traz a frase “crack is wack” (droga é ruim) e mostra pessoas nuas, consumindo droga. Em seguida, repórter na web promove caçada a obras pretensamente pornográficas

Por João Bosquo e Enock Cavalcanti | A censura que começou por Porto Alegre, atacando obras de arte, se espalhou pelo Brasil e chegou agora a Cuiabá. Um quadro do artista plástico cuiabano Gervane de Paula foi retirado da exposição coletiva “Amo Cuiabaá”, realizada no Pantanal Shopping, depois que um cliente reclamou do caráter pretensamente pornográfico da obra, no domingo (17). Ação de censura provocou protestos, mas também tem colhido aplausos nas redes sociais, com o repórter Arthur Garcia, da web TV Kanal 1 capitaneando, em vídeo, uma verdadeira caçada a outras obras que devam ser repudiadas pela chamada “família cuiabana”.

Indignado com o quadro do Gervane de Paula, o cliente do Pantanal Shopping fez um vídeo, que circula pelas redes sociais, criticando o painel da exposição e alertando outros clientes. Para ele, os pais não devem levar as crianças ao Pantanal que seria “um lugar imundo”. No vídeo, ele diz: “Pessoal, eu estou em uma exposição aqui no Shopping Pantanal e aí para vocês verem como o negócio a nível Brasil banalizou mesmo. Dá uma olhada no tipo de quadro que está sendo exposto aqui”, diz o homem. “E se vocês perceberem aqui dentro tem família, com crianças. Então é isso que virou, parece que banalizou o negócio mesmo. Fica aí a dica para vocês não trazerem as suas crianças num lugar imundo como esse aqui não”, completa.

O quadro de Gervane estava sendo exibido dentro de uma mostra em homenagem aos 300 anos da capital mato-grossense e intitulada “Eu amo Cuiabá”. Além de quadros de Gervane, a exposição reúne obras de outros renomados artistas cuiabanos como Adir Sodré, Benedito Nunes, Carlos Lopes, Capucine Picicaroli, Dalva de Barros, Jonas Barros e Ruth Albernaz.

FALA GERVANE – Em declaração ao Hipernotícias, o artista plástico Gervane de Paula disse que ficou surpreso com a censura. Gervane afirmou que o conjunto de quadros tem o objetivo de promover reflexão sobre o mundo das drogas e suas consequências. “As pinturas retratam cenas corriqueiras do mundo das drogas. Em nenhum dos quadros há apologia a nada”, argumentou Gervane. Para ele, a reclamação do cliente demonstra desconhecimento e falta de contato com a arte contemporânea. “Parece que nunca visitou um museu ou uma exposição de arte contemporânea”, critica. “Virou moda agora, né?! Tem tanta coisa para se preocupar. Tem tanta gente para perturbar, o prefeito, o Temer, os políticos, enfim”, disse.

Gervane acredita que o ataque à sua obra pode ter sido influenciada pelo caso recente da exposição “Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira”, interrompida pelo Santander Cultural, em Porto Alegre, após pressão do Movimento Brasil Livre (MBL) pelas redes sociais.

A assessoria do Pantanal Shopping afirmou que a exposição não é organizada pelo estabelecimento e o espaço é cedido. Disse também que, ao receber a reclamação do cliente, informou o curador da mostra, João Manteufel, que, por sua vez, ficou de conversar com o artista para decidir sobre a retirada da obra do local.

Ainda segundo a assessoria, o quadro pode retornar ao painel, o que até o momento não foi decidido. Caso volte, haverá informativo no local, recomendando a classificação etária. (Com matéria do Hipernotícias)

Leia também: “Lamentavelmente, é impossível ignorar a ignorância”, diz Mahon

Share Button

“Lamentavelmente, é impossível ignorar a ignorância”, diz Mahon

Gervane de Paula, o artista

Por João Bosquo e Enock Cavalcanti | O artista censurado foi nada mais nada menos que Gervane de Paula, artista premiado, conhecido em praticamente todos estados brasileiros. Gervane de Paula – o nosso Gervane de Paula, do Araés, em uma de suas primeiras fases tinha a manga como temática e chegou a ter um painel na Avenida Rubens de Mendonça, a do CPA, que a população cuiabana pode admirar por quase uma década, e agora nesta penúltima (a última ainda deve demorar dezenas de anos) o artista está mais engajado social e politicamente e denuncia as mazelas do nosso dia a dia.

Uma dessas mazelas é o uso das drogas pela pobreza, pelas pessoas que não tem renda. Os grã-finos em seus apartamentos de luxo tem inclusive o serviço delivery das drogas e ninguém se incomoda. O filho da desembargadora com mais de 100 quilos de maconha, lá no Mato Grosso do Sul, está em casa, enquanto aquele pobre coitado com um cigarro da cannabis e um pinho sol ainda está amargando atrás das grandes.

Pois é esse Gervane que foi denunciado como pornográfico. Um quadro no qual se destacam a frase “crack is wack” (droga é ruim) e mostra o desenho de duas pessoas nuas, consumindo droga, teria chocado nada pacato cidadão.

Artur Garcia, repórter e censor

Por conta desse vídeo, o jornalista Artur Garcia, que mantém canal privativo no You Tube e também trabalha no Pop Show, da Band, voltou à mesma exposição – que não tinha mais o quadro para mostrar – pois o quadro já tinha sido retirado, e demonstrou sua gana pela audiência ao repercutir o pensamento mais conservador, e se manifestar contra o pensamento livre, contra a arte, sempre com os argumentos de defesa dos pretensos bons costumes.

O advogado Eduardo Mahon, um dos mais respeitados jurista de Mato Grosso, também escritor, poeta e admirador da boa arte, embora possa até não concordar com alguns aspectos artísticos, defende a liberdade de expressão. Pois ele, mais que ninguém, sabe que o trabalho do artista, do escritor, do poeta e romancista dependem da liberdade.

“Lamentavelmente, é impossível ignorar a ignorância. Em todos os momentos de virada, o conservadorismo opôs-se à vanguarda. Essa tensão é absolutamente natural e até esperada. O que não é possível admitir é a censura por meio do patrulhamento de cunho moralista ou religioso. Os modernistas do século XIX foram chamados de pornográficos, imorais, infantis e desastrados. Renoir foi hostilizado por retratar a vida profana parisiense, entre outros tantos que hoje estão consagrados. O mesmo se disse da pop art e do dadaísmo. Vejo a reação como natural à proposta artística. Arte que não incomoda, que não faz pensar, que não desaloja o espectador do comodismo, nunca terá sido verdadeiramente arte. Trata-se de decoração. É preciso enfrentar os nossos próprios fantasmas, do preconceito interno aos abusos sociais. Para isso, temos a lei, de um lado, e a educação, de outro. Os artistas catalisam a mudança de comportamentos. Recomendo que quem quer apreciar ópera, música clássica, ballet, vinho, seja lá o que for, estude antes de falar tanta bobeira. O que há por aí é gente passando recibo de ignorante ao abrir a boca”, disse Mahon.

O Lau, da dupla Nico & Lau, o ator Justino Astrevo, ao saber da censura envolvendo um quadro do Gervane de Paula, reagiu assim: “Esse olhar de censura sobre essas obras está atrasado pelo menos uns 500 anos. É triste a falta de visão libertária e de conhecimento histórico! Vade retro”. (JB/EC)

Leia também: Pantanal Shopping retira quadro de Gervane de Paula da mostra “Eu Amo Cuiabá”

Share Button

Seminário no Museu do Amanhã discute os caminhos da inovação no Brasil

Evento reunirá inventores brasileiros em cartaz em exposição temporária na próxima quarta-feira (16)

Da Assessoria | O Museu do Amanhã, em parceria com a Finep, realiza na próxima quarta-feira (16/8), às 9h30, o Seminário Inovanças – A inovação feita no Brasil, um desdobramento da Exposição Inovanças – Criações à Brasileira, inaugurada em abril, e que já recebeu mais de 120 mil visitantes. A necessidade de errar, de valorizar a tecnologia social e de saber como os brasileiros têm inovado no país serão os temas que nortearão a discussão. O evento, gratuito, será realizado no Auditório do Museu do Amanhã. As inscrições podem ser feitas no site.

Para falar sobre novas maneiras de criar e de reinventar, o seminário reunirá alguns dos brasileiros inventores apresentados na Exposição Inovanças, como Joana D’arc Félix, PhD em Harvard que superou a fome e o preconceito e, atualmente, soma 56 prêmios em sua carreira. Joana desenvolveu uma pele artificial a partir da epiderme de porco que pode ajudar na recuperação de queimaduras em humanos. Além dela, o jovem Ronaldo Tenório criou o aplicativo Hand Talk, software apoiado pela Finep que traduz o português oral e escrito para LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) de modo on-line – vencedor do prêmio da ONU como o melhor aplicativo social do mundo.

Marcos Cintra, presidente da Finep; Roberto Lerusalimschy, desenvolvedor da Linguagem de Programação Lua; Dávila Souza Corrêa, representante do Instituto Mamirauá; Regina Tchelly, criadora do projeto Favela Orgânica; Wang Shu Chen, diretora da empresa Adespec e criadora da supercola sem solventes, também compõem o grupo de palestrantes de Inovanças – A inovação feita no Brasil.

Todos esses personagens centrarão forças para ajudar o público a conhecer o atual status da inovação do Brasil e a debater sobre como a sociedade não tolera o erro, visto como sinônimo de fracasso – mas necessário como tentativa rumo ao acerto. Além disso, os participantes terão a oportunidade de entender as tecnologias sociais que são vetores para o desenvolvimento do país – tradução da habilidade humana de moldar a realidade ao redor – e poderão ouvir de inventores brasileiros quem inventa os benefícios e dificuldades de se criar algo por aqui.

“Há um consenso sobre o papel da inovação para o desenvolvimento econômico ao redor do mundo: trata-se do elemento-chave para o crescimento econômico sustentado e o bem-estar social. A inovação deve ser tratada como um bem público”, destaca Marcos Cintra, presidente da Finep.

“O evento será uma oportunidade de debater o atual status da inovação no Brasil, discutindo o ponto em que estamos, para onde vamos e como queremos ir”, finaliza Leonardo Menezes, gerente de Conteúdo e do Observatório do Museu do Amanhã.

Serviço:

Seminário Inovanças – A inovação feita no Brasil
Data: 16 de agosto (quarta-feira)
Horário: das 9h30 às 14h30
Local: Auditório do Museu do Amanhã (Praça Mauá, nº 1, Centro – Rio de Janeiro)

 

Share Button

Exposição Lixo é quase nada, no Sesc Arsenal, em agosto

Junto com a exposição acontecem uma série de cursos e oficinas que ensinam a reciclar o lixo que não é lixo; 2 de agosto é o coquetel de abertura

Da Assessoria | O lixo é um dos principais problemas socioambientais da humanidade. No entanto, enfrentar esse problema pode ser mais simples do que se imagina. De 02 a 26 de agosto venha ao Sesc Arsenal conhecer a exposição Lixo é Quase Nada.

Composta por módulos que contam o processo da produção e descarte de resíduos, a exposição nos covida a questionar nossos hábitos, mostrando que, com pequenas mudanças no comportamento, é possível reduzir a quase zero o acúmulo de lixo.

Com atendimento de terça a sábado, das 14h às 22h, a exposição mostrará, de forma lúdica e interativa, temas relacionados ao lixo e ao consumo. Percorrendo os módulos da exposição o visitante ampliará e questionará sua compreensão sobre o lixo, consumo e aproveitamento de resíduos.

Já professores e educadores poderão aproveitar a exposição para discutir temas como a “Importância da Educação Científica na Formação da Cidadania e os 5 Rs (Reduzir, Reciclar, Reutilizar, Reusar e Recusar).

A mostra é uma iniciativa do Departamento Nacional do Sesc e já esteve em outros estados brasileiros, como Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraná, Piauí, além do Distrito Federal.

O coquetel de abertura acontece em 02 de agosto às 18 horas. De 03 a 25 de agosto haverão oficinas como Aproveitamento integral dos alimentos; Artesanato com garrafas PET; Construção de instrumentos musicais; Papel reciclado artesanal e Confecção de sabão em barra.

COQUETEL DE ABERTURA E PALESTRA DE LANÇAMENTO: 02/08 às 18h

EXPOSIÇÃO ABERTA AO PÚBLICO E COM AGENDAMENTO: 02 a 26 de agosto, com atendimento de terça a sábado, das 14h às 22h.

Às terças dos dias 08, 15 e 22 às 17h e 18h haverá exibição de vídeos com debate

OFICINAS DE 03 A 25 DE AGOSTO
OFICINA ARTESANATO COM GARRAFA PET: POTES DECORADOS
Datas: 03, 08, 10, 23 e 24 de agosto | Turmas às 14h, 16h e 19h

OFICINA BOLSA DE CAIXA DE PAPELÃO
Datas: 09 e 17 de agosto | Turmas às 14h e 16h

OFICINA GARRAFAS DECORADAS
Datas: 04, 18 e 22 de agosto | Turmas às 14h, 16h e 19h

OFICINA PAPEL RECICLADO ARTESANAL
Datas: 15, 17, 18 e 22 de agosto | Turmas às 14h, 16h e 19h

OFICINA CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS
Datas: 08, 11, 16, 23 e 25 de agosto | Turmas às 14h e 16h

SABÃO EM BARRA
Datas: 04, 09, 16 e 24 de agosto | Turmas às 14h, 16h e 19h

MINI BOLO DE CASCA DE ABÓBORA
Datas: 03, 10, 11, 15 e 25 de agosto | Turmas às 14h, 16h e 19h

Fonte: SESC Mato Grosso

 

Share Button

Exclusivo: Conselho Municipal  de Cultura de Cuiabá define seus membros em eleição nesta terça

Os membros do novo Conselho Municipal de Cultura de Cuiabá, enfim, foram eleitos. A escolha aconteceu nesta terça-feira, 18, quando durante o transcorrer do dia delegados representando as entidades da sociedade civil organizada e delegados dos segmentos artes visuais, música, audiovisual, literatura, cultura popular e artes cênicas escolheram  -pela Sociedade civil organizada- Antonieta Luísa Costa, do Instituto de Mulheres Negras (Imune); Carolina Miranda Barros, do Instituto Inrede, e Marcos Levi de Barros, do Instituto Case de Desenvolvimento; e -pelos segmentos- Zilda Barradas, do setor Artes Visuais; Eduardo Francisco da Silva, o Eduardinho  Mistura, da Música, e Odail da Costa Neves, da Cultura Popular.

Os eleitos pelo segmento: Odair Neves, Eduardinho Mistura e Zilda Barradas

A presidente da Comissão Eleitoral, Cybelle Bussiki, após a apuração dos votos, explicou que apenas 12 delegados deixaram de comparecer ao pleito, mas o número não representava risco para a representatividade dos eleitos. E num discurso emocionado  desejou felicidades aos eleitos, ao mesmo tempo que cobrou uma participação efetiva nas atividades do CMC como também do Fórum Permanente de Cultura, no qual se debate as políticas culturais do Estado e municípios. Segundo ela, o momento de valorizar a cultura popular é agora, pois o CMC é o conselho dos 300 anos de Cuiabá.

A conselheira eleita mais bem votada, com 34 votos, Zilda Barradas, manifestou de forma contundente, dizendo que não está ‘preocupada’ com os editais, mas preocupada com a política cultural, com a falta de continuidade e no momento “precisamos ressuscitar os dois conselhos de cultura para atender a expectativa do mercado”.

Membros da Comissão Eleitoral faz apuração dos votos

O Secretário de Cultura de Cuiabá, Francisco Vuolo, após a proclamação dos  resultado compareceu ao local de realização da votação para cumprimentar os membros da Comissão Eleitoral pelo trabalho desenvolvido e aos novos eleitos.  Segundo ele, vive-se um “momento impar com a realização bem-sucedida  da eleição, em todos os seus momentos, por conta da sensibilidade da comissão que conduziu o processo e pudesse ter os conselheiros e seus respectivos suplentes”.

Na outra parte o secretário fez questão de agradecer a participação de todos, tanto na fase preparatória como na eleição, pois entendem a necessidade de estar presente, mesmo diante da dificuldade da retomada da credibilidade de conselho que está em processo de reconstrução.

O cronograma inicial proposto originalmente sofreu um pequeno atraso. A eleição deveria ter acontecido no último dia 8, porém por conta de uma reclamação contra a votação dos delegados suplentes da comissão eleitoral aconteceu o adiamento.

Os suplentes eleitos por segmento foram Luiz Renato de Souza Pinto (Literatura), Sernon Sebastião Cordeiro (Audivisual) e Matheus de Luca (Artes Cênicas);  pelas entidades da sociedade civil organizada os suplentes são Endson Santana Souza e Silva, Geremias dos Santos e Kelson Joemir Panoso dos Passos.  A posse dos eleitos será definida posteriormente.

 

Share Button
1

Índios do Xingu cobram ações educacionais, culturais e ambientais e recebem aceno positivo do governo de MT

​Reunião entre lideranças Wauja, membros do IHB e o governador Pedro Taques Foto: Gabriele Garcia/Divulgação

Da Assessoria | Lideranças wauja (da aldeia Piyulaga, localizada no Território Indígena do Xingu) se reuniram, nesta quarta-feira (12.04), com o governador Pedro Taques para apresentarem demandas referentes à cultura, educação e meio ambiente. Também esteve presente o Secretário de Cultura, Leandro Carvalho, e membros do Instituto Homem Brasileiro (IHB), instituição que tem assessorado os indígenas na elaboração de vários projetos, dentre os quais o contemplado pelo edital “Territórios MT”, cuja proposta é dar autonomia aos wauja no que diz respeito à pesquisa e registro cultural, preservando assim o conhecimento tradicional da etnia.

Após o encontro, Taques se comprometeu a atender as necessidades indígenas e, para garantir celeridade, foram marcadas outras duas reuniões no mesmo dia. A primeira, às 14h30, com o secretário-adjunto do Meio Ambiente, Alex Marega; e, em seguida, às 15h30, com o coordenador de relações políticas da Secretária de Educação (Seduc), João Batista Neto.

“A Secretaria de Educação já está ciente das informações e irá se reunir com os membros para que as pautas sejam atendidas o mais rápido possível”, garantiu o governador. Vale lembrar que, na terça-feira (11.04), durante a cerimônia deassinatura dos contratos dos projetos aprovados em editais lançados pela Secretaria de Cultura (SEC-MT), lideranças wauja cobraram a oferta de cursos de capacitação para professores indígenas, estrutura física adequada para desenvolverem as atividades curriculares, maior fiscalização e cuidados ambientais no entorno do Território Indígena do Xingu (TIX) e solução para a falta de internet nas aldeias. Continue Reading

Share Button

Cinema Xavante: inicia hoje em Barra do Garças a primeira mostra de filmes com temática e produzidos por indígenas

O Cinema Xavante enquanto instrumento de memória e resistência

Por Maíra Ribeiro

Exibindo Mostra_cineasta Xavante Divino Tserewahu - Imagem de Bernand Belisario.jpg

Xavante Divino Tserewahu – Imagem de Bernand Belisario

Com a exibição do filme Daritidzé – Aprendiz de curador (Divino Tserewahú, começa nesta quarta-feira (30), em Barra do Garças a I Mostra de Cinema Xavante. O filme de estreia é dirigido pelo cineasta Xavante Divino Tserewahú. Nas três noites da Mostra, serão exibidos  sete filmes com temática indígena, dirigidos por indígenas e não indígenas. Em cada noite, realizadores e idealizadores das obras debaterão com a plateia. Pela manhã e à tarde haverá  sessões de curtas-metragens indígenas dirigidas para estudantes da cidade. As exibições são abertas a toda a população e acontecem na sede do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) em Barra do Garças.

Uma das atrações da Mostra é o premiado Jururã, o espírito da floresta, de Armando Lacerda, que virá debater seu filme na Mostra. O documentário acompanha a vida do Xavante Mário Juruna, primeiro e único indígena a se eleger deputado no Brasil. Mário Juruna foi pioneiro na apropriação das tecnologias não-indígenas como instrumento de luta política e defesa dos direitos indígenas. Na década de 1970, Juruna ficou famoso por usar um gravador de voz nas reuniões e negociações com autoridades. Esse artifício não só intimidava, como gerava provas sobre as promessas não cumpridas e os desrespeitos aos povos indígenas. Continue Reading

Share Button

Bazar Solidário das Arteiras acontece nesta quarta (30) na A Casa do Parque

Da Assessoria

Dinheiro será usado para ajudar creches carentes da grande Cuiabá

Para quem gosta de produtos artesanais e peças exclusivas, o Bazar Solidário das Arteiras é uma ótima opção na hora de ir às compras de natal. Panos de prato, jogos de tapetes e enfeites decorativos são apenas alguns dos artigos que podem ser encontrados na terceira edição do bazar que acontece nesta quarta-feira (30) na A Casa do Parque das 14h às 19h, com entrada gratuita.

A melhor parte é que todas as peças são comercializadas por preços simbólicos que variam de R$ 20 a R$ 200. Vale destacar que todos os produtos são confeccionados por um grupo de oito voluntárias com o intuito de arrecadar verbas para ajudar creches carentes da grande Cuiabá. Continue Reading

Share Button

Comunidade Umbandista celebra 108 anos de fundação de sua religião e realiza o 4º Encontro Umbandista de Cuiabá

Por Cristian Siqueira

A Umbanda é uma religião que tem como pilares a humildade e a caridade a partir das diversas práticas resultantes do sincretismo étnico-cultural existente em todo o território brasileiro.

A Umbada é uma doutrina que conta hoje com expressivo e crescente número de frequentadores e simpatizantes, inclusive dentre aqueles declarados pertencentes a outros segmentos religiosos, com relevante adesão em virtude da amplitude de sua repercussão na vida das pessoas que buscam respostas aos seus anseios mais íntimos, explicados pela profundidade de seus ensinamentos e resgate da ancestralidade, promovendo o auto-encontro.

Dentre seus seguidores, percebe-se um grande número de mulheres de diferentes idade e formação tanto acadêmica como profissional. São idosas, senhoras, moças, meninas, professoras, engenheiras, domésticas, muitas delas conciliando sua experiência como esposa, mãe e profissional e sua vivência espiritual, numa luta diária para manter seu espaço numa sociedade ainda permeada pela desigualdade e exclusões.

Quem são estas mulheres no âmbito da vivência da religião Umbandista, além do olhar superficial voltado para nossas valorosas Mães de Santos e Mães Pequenas?

Reconhecendo a importância desta relevante parcela da Sociedade por sua diversidade contributiva, bem assim visando reunir seus adeptos para o fortalecimento da religião entre irmãos e divulgação da Doutrina Umbandista aos não professantes, em 2016, o MUC – Movimento Umbandista de Cuiabá promoverá respeitosa reflexão que terá como tema: “MULHER, FONTE DE AXÉ”.

O evento acontecerá no dia 20 de novembro, a partir das 15 horas, na Praça 08 de Abril, com apresentações artística-musicais e a presença de diversos Sacerdotes e Sacerdotisas que somarão conhecimento e experiências referentes às práticas de nossa amada Umbanda.

Na presente oportunidade vimos mui respeitosamente pedir a presença de tão qualificado meio de comunicação no evento citado no sentido de apresentar á sociedade uma matéria a respeito do evento tendo a certeza de que a participação dos meios midiáticos na luta contra a INTOLERÂNCIA que assola nossa sociedade é de suma e fundamental importância.

Nos dispomos para esclarecimentos de dúvidas agradecendo, desde já, a atenção e participação.

Share Button

Concurso que premia sentenças judiciais emblemáticas em Direitos Humanos é lançado

Da Redação*

A criação do “ 1º Concurso nacional de pronunciamentos judiciais e acórdãos em Direitos Humanos” é uma iniciativa conjunta entre SEDH e CNJ. O Projeto é pioneiro e visa o fortalecimento da cultura em Direitos Humanos, premiando sentenças e acórdãos fundamentados  na proteção e promoção dos Direitos Humanos, repercutindo a proteção à diversidade e às vulnerabilidades .

O lançamento do edital aconteceu no último dia 25, no auditório do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

Ao todo, 13 categorias serão premiadas. Os temas são ligados a grupos em situação de vulnerabilidades tais como – crianças, adolescentes, pessoas idosas, mulheres, povos e comunidades tradicionais de matrizes africanas, diversidade religiosa, povos indígenas, quilombolas, ciganos, população LGBT, população prisional, população em situação de rua, pessoas com deficiência, transtornos e altas habilidades/superdotação, prevenção e combate à tortura, trabalho escravo e proteção a defensores de direitos humanos e direito à memória e verdade.

A criação do prêmio serve como um incentivo às decisões na discussão judicial no tema Direitos Humanos.

*Com material Da Assessoria

><>Meu Peixe lembra que o judiciário brasileiro vive uma crise sem precedentes, com julgamentos fora da curva, omissões em pontos cruciais para a manuteção da democracia como foi o impeachment da presidenta Dilma…

Meu Peixe destaca a campanha do STE, que incentivava o eleitor a comparecer nas urnas e no entanto tivemos um das maiores, senão o maior, índice de abstenção, que somados aos nulos e brancos em muitos colégios eleitorias chegou a ser maior que o candidato eleito. Se tivéssemos num regime eleitoral justo deveria acontecer novas eleições…

Share Button

Grupo apresenta projeto de lei para igualar salários de vereadores ao dos professores municipais

Populares assistem a sessão da Câmara de Vereadores de Campo Verde

Por  Lázaro Thor Borges

Integrantes do grupo “Juntos Por Campo Verde” protocolaram na quinta-feira (20) um projeto de lei que visa equiparar o salário dos vereadores da cidade de Campo Verde (a 134 km de Cuiabá) ao dos professores do município. O grupo surgiu após a circulação de um vídeo gravado durante sessão da Câmara Municipal em que o presidente da casa, Welson Santos (PSDB), defende o aumento salarial dos legisladores.

De acordo com a nova proposição, os vereadores deixarão de receber R$ 4.950,00, – somados a mais R$ 5.000 de verba indenizatória, – para ganharem o mesmo que ganha um professor da rede pública municipal de Campo Verde: R$ 2.168,00. O projeto também propõe que o reajuste da remuneração dos vereadores acompanhe o aumento salarial dos professores.

Fonte e clique aqui para ler mais: Olhar Direto

><> Meu Peixe não acredita que essas medidas serão aprovadas pelas câmaras municipais – imagina – mas é importante para os políticos sentirem que a população já não está tão passível e está se mexendo.

Share Button

Projeto ajuda na recuperação da auto-estima das mulheres, diz Roseli Barbosa

O município de Várzea Grande é o segundo a receber o “Projeto Mulheres Empreendedoras”, patrocinado pelo Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT). A lançamento aconteceu nesta sexta-feira (22.02), na sede do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), com a presença da primeira-dama e titular da Setas, Roseli Barbosa e do prefeito de Várzea Grande, Wallace Guimarães.

Roseli Barbosa destacou que desde que assumiu a Setas vinha procurando desenvolver um programa voltado para a mulher e o “Mulheres Empreendedoras” surpreendeu desde seu lançamento e já formou mais de 1300 mulheres. O objetivo do projeto é propiciar o acesso ao emprego e renda. A qualificação, nas mais diversas modalidades, capacita a mulher para o mundo do empreendedorismo. Tanto que a maioria, ao terminar o curso, é encaminhada para receber o microcrédito, com taxa de juro zero e três meses de carência. Ao gerar renda, destaca Roseli Barbosa, “a mulher eleva a sua alto-estima”.

Continue Reading

Share Button