Medalha de Ouro para o Brasil

Enfim, o PT está se retirando. Discretamente, pela porta dos fundos. Sem alarde, de madrugada, durante a Olimpíada. Ninguém quer mais saber o que já se tornou óbvio. Não houve revolta, não houve resistência, não houve conflito. Os longos anos de roubo institucionalizado do petismo serão enclausurados na prisão. Nenhuma ruptura institucional, nenhuma comoção social, nenhuma paralisação duradoura. Eles cansaram.

Share Button
Continue lendo

Hello world!

Welcome to WordPress. This is your first post. Edit or delete it, then start blogging!

Share Button
Continue lendo

1955

Viva Dona Josefa que sempre me tevecom fé, boa mesae levou-mepra tomar todas as vacinase, por isso, estou aqui.

Share Button
Continue lendo

Das Mortes

A Igreja Nossa Senhora da Boa Morte continua no mesmo lugar, a caminho de quem vai para o Cemitério da Piedade. A casa de minha avó, Mariana, ficava perto da Igreja Mãe dos Homens, longe do cemitério onde se assistia as missas dominicais… Frei Quirino, pároco da Boa Morte, foi quem ajudou vó Amélia a desencarnar As pessoas usavam luto:

Share Button
Continue lendo

Ai!, Quanta Mentira

Ai, quanta mentira  falta de vergonha, sei lá  um cinismo sem fim  seja deste ou daquele  lado da mesma moeda  todos são como que  acreditassem que a mentira  fosse a única saída  Ai, quanta mentira  lero-lero feito bolero  dois pra lá, dois pra cá  todos se fazendo de inocentes  de uma misantropia sem par  como se, quem ouvisse,  por obrigação

Share Button
Continue lendo

Primeira Vez

Da primeira vez, solitário e triste, Que me vi, como num espelho, Tentei um sorriso e meio E quis enganar-me aos olhos… Da segunda vez, embora triste, Um tanto quanto solitário e só, Busquei dentro de mim Uma lenda e lembrei-me de você… Da terceira vez, solamente Quase uma semente, vi Atrás da íris quando estava Frente ao espelho –

Share Button
Continue lendo

Lembro Curitiba

No caminhar sozinhopelas ruas de Curitibasempre olho para os ladospor onde andam os ônibus expressosde Jaime Lerner Pelas janelas dos ônibustento enxergaraquele outdoor provocativode João Urbanque Curitiba urbanamente escondeu. 2011 Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

O Amor Apareceu

O amor apareceuna minha vida depoisde te conhecer aquie poder sonhar a dois O amor um dia vemremexe com nosso peito…O que estava arrumadofoi revirado, desfeito O amor quando padecetudo fica meio assimsem saber o que fazerse o amor chega ao fim O amor desapareceNinguém esperava suapartida neste pedaçode tempo de sol e lua O amor perdeu o ingressovocê sumiu,

Share Button
Continue lendo

A Praça

Para cada verso escritoexiste toda uma vidacom fôlego suficientepara despertar uma praça Praça cheia de gente      cheia de vidaA praça inteira é nossa A praça é um poema completo. Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

O Passarinho na Janela

A ave vem e pousano parapeito da janela… Assiste com seus olhinhoso andar pela casada filha mais velhavê o pais diante da TVe a dona de casa arrumandoa mesa para o almoço… Suspira, um suspiro de passarinhodepois voa… 1979 Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

Sonho de Menino é Piraputanga no Anzol

Os peixes estão dormindo Embalados por sonhos úteisQue lembram antigos parentesPerdidos por outros rios… – Menino, menino, menino,Tira daí esse anzolE deixe os peixes do CuiabáSonharem em paz. Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

Falar Poema é Coisa Simples

Falar alguma coisa: poemaou falar coisa alguma: fonemafaz o mesmo sentido ou tema Temer a letra oclusiva, combinadacom outra letra vogal ou seminuano recinto fonético da salaÉ próprio dos alfabetos escritos O som saiu límpido da línguafalada por todos os leitores mudospresentes desde antes do sol Falar o poema assim recitadocomo foi imaginado pelo poeta que precinto sempre sonoropara que

Share Button
Continue lendo

Clara

Das duas preferirás sempre uma: gêm(e)a Não suportarás trair a mulher com a mesma mulher. 1979 Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

Teus Seios

Vi a base de teus seios.Como são gostosos!, livressem remorsos e sutiã, jovens…Espera!… São pêras, maçãs? Que sabor terão os teus seios?Nós dois no ônibus, próximosmeus olhos procuram ver melhore investigam teus seios gentis, doces e alegres de tanta mocidade.Saberão teus seios de meus anseios,sonhos sensuais, espasmos noturnos? Ou com certeza faz tudo isso,quando estamos juntos no ônibus,-ai!- só pra

Share Button
Continue lendo

Merda (segundo capítulo)

A Merda de Caetanonão é a mesma merdaque entra pelo cano A Merda do artistasimboliza outra falaA fala de artista A Merda de Caetanotranscende a palavraescrita em um plano A Merda do artistapode ser manchete enão machuca a vista. Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

O Sapo Filósofo

Sonhei que tinha um sapo na barriga. Era um sapo grande, enorme… Um sapo de olhos verdes, maravilhosos, que diziam coisas em francês, e muito das vezes não entendia, só sabia que era sapo, fazia filosofia e estava na minha barriga Sonhei que tinha um sapo na barriga. Acordei e pensei que estava grávido de uma possibilidade maior que o

Share Button
Continue lendo

Águas de Chapada

A água fria da cachoeira de Chapadate arrepia os pelos da barriga, do púbis;os pelos amarelos internos das coxas,dos braços morenos, te arrepia as sobrancelhas A água fria da cachoeira de Chapada,que cai em cachos sob o efeito da lua,te provoca e na prova tua pele não resisteà água límpida e fria que escorre a noite A água fria da

Share Button
Continue lendo

Poema de Amor

Todos os poemas de amor devem ser, creio, só de amor como minhas dores devem ser só minhas Para a amada não cantarei a fome, a miséria, a luta desenfreada pelo poder apenas pelo poder sem que isso signifique menosprezo pelo ser amado Não cantarei… Fora os poemas de amor tudo que mais há, além do amor vão estar em

Share Button
Continue lendo

Será

Será que Fachin mantém a barba? Se ela estiver, estará branca? Estará do jeito que imagino Um papai Noel cara de menino? Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

Quase no Fim da Curva

Quase no fim da curvaComo que enxergandoO fim da linha demarcadaSinto que nada foi gratuito Tudo,tudo de tudo, tem um porquêUma razão de ser – seremosUm e outro entrelaçadosAté aprendermos o amorO sentido de amarComo é por que serenos Tudo e nada tem o mesmo valorO mesmo sentido, um segundoNum voltar do ponteiroAo ponto da partida final. 2011 Poemas de

Share Button
Continue lendo

Aquilo que está dentro de nós e não se quer ver

Não é possível agora, neste exato instante, Criar outra realidade, sem esta estar presente Sem que se esqueça – lembrança permanente Da mesma realidade que nós vivemos semente Viver outra realidade é sonho de todos tolos E esquecer que a realidade permanece sempre Em todos os momentos da mesma  eco-realidade Da qual fugimos e para a qual queremos ser Outros,

Share Button
Continue lendo

Os assassinados do Rio de Janeiro

Os assassinados do Rio de Janeiroestão nas favelas, nos morrosnas travessas, vielas e avenidasescondidos atrás das grades da violência Os assassinos do Rio de Janeiroestão expostos, são protagonistasdos noticiários da Rede Globo personagens do horror do dia-a-dia Os assassinas do Rio de Janeiroprovocam terror: – terroristasprovam do medo, sem sabor, de estar fora de si, embora sem saberOs assassinos do Rio

Share Button
Continue lendo

Escuso-me Pardo

Não sou preto, não sou branco Venho de índios do interior de Mato Grosso de espanhóis fugidos de revoluções de avós escravos, ou quase, em usinas do Pantanal Não sou preto, não sou branco Um dia já fui filho de pai próspero comerciante e depois foi à falência Minha família morou ‘de favor’ mudei de casa, de rua, de escola,

Share Button
Continue lendo

Minha Poesia Cuiabana

Minha poesiaanda meio afrescalhadameio purpurina, alegoria Minha poesiasó quer saber de andarno meio da rua, farol fortesalto alto Minha poesianão fala de gente,de pessoasmeninos de rua,de passeios de mãos dadas Minha poesiaanda meio esquisitasocial-democratameio mulatinhaum pé na sala, outro na cozinha Minha poesiaacorda bem cedobrincando que é sérianem dá bom dia pro padeiro Minha poesiatem dia acorda machooutro, meio feminina(Quem

Share Button
Continue lendo

Abertura

1.Não tem como sairdeste carroO escapamentofica do outro lado. 2.– Não tem escapamentoO carro está no estacionamento. Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

Não Digo mais Verdades

para Cirlene Lopes Não digo mais verdadesDigo apenas saboresEntre o azedo do cajáE o tênue tom chocolate A verdade, ninguém sabe,Consegue imaginarOu fazer uma fotografiaAntes do nosso anoitecer Os sabores estão prontosIncrustados na línguaDos lábios que articulamos Os sabores, sinceros,São permanentesMelhor que a dita verdade. 25.04.13 Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

A Puta e o Poeta

In Antônio Sodré, el poeta da transmutação A puta não sabe do poetaEl poeta, por sua vez,não sabe nada da puta… Veja bem:el poeta escreve versosa puta anda na calçada Os dois se desconhecemembora morem na mesma cidadee vivam de mesmos dissabores/amores. Poemas de João Bosquo

Share Button
Continue lendo

Seu Tempo Passou

O tempo passa, o tempo voa/A poupança Bamerindus/Continua numa boa/A poupança Bamerindus! O tempo passa…Você passou por mime machucou meu coraçãoO vento do coração apaixonadoprovoca um temporalarrepia as veias,acelera o batuquee bate nervosofeito um pandeiro malucocomo meu coração O tempo passa…Você passou delirante,fez um estragoum rebuliço,jogou-me no lixonum buracosem fundosem xeque-matearrebentou meu coraçãoque mesmo assimsorri como um bêbado felizem delírio O

Share Button
Continue lendo

Tudo

Antes de tudoantes até do próprio silêncioantes de Deus existiro homem também não existia Antes de tudo…Porém Deus, antes de tudo,deu um sopro de vidae a alma humana se feze a existência passou a ser Antes de tudoo homem passou a serhumano ser que à tudoimpregnou com sua presençae Deus se fez humano também Depois de tudoQuando a alma de

Share Button
Continue lendo

Ver Deus

O mundo, como vemos o mundo,é uma forma de não ver Deus…Somos parte do mundo, enquanto matériadele viemos e a eles retornamosAssim também somos, enquanto alma,parte de Deus e a ele voltamosquando nossa matéria aqui se cansa Assim como Jesus também somos divinosporque a porção que nos realiza,enquanto seres humanos,é doada por Deusnum sopro de vidae esse sopro a ele

Share Button
Continue lendo
1 2 3 4 15