Cinco de fevereiro

Estou ficando velho, reconheço
Estou deixando para traz a mocidade
Os nervos não estão mais à flor da pele
Nem no endereço determinado

Estou ficando velho, lentamente…
Amanhã ou depois de amanhã
Se confirma conforme combinado
A certeza de ser estar mais velho ainda

Estarei na sala de espera, lendo
Velhos romances machadianos
Re-conhecidos pela memória eletiva

Que detesta o novo desconhecido
Pois não demora a reconhecer
Que está ficando velho para sempre.

O extraordinário poeta Carlos Drummond de Andrade escreveu “Não faças versos sobre acontecimentos./ Não há criação nem morte perante a poesia.”, mas mesmo ele não resistiu e fez um maravilhoso poema  para o neto… Contraditório?, não, claro que não. É do poeta.

Eu como não tenho regras para serem quebradas faço poemas sobre acontecimentos. Hoje, cinco de fevereiro, é o dia mais importante na vida de minha mãe, dona Josefa, pois neste dia ela se tornou mãe pela primeira vez. Costumo dizer que o aniversário é dela e não meu. Os meus são dos de meus filhos…

Mesmo assim quero agradecer os votos de felicidades de todos os amigos… Muito obrigado. Viva!

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...