Ciranda Mundo mostra repertório sinfônico

Orquestra vai interpretar Carlos Gomes, Henryk Wieniawski, Schubert e Tchaikovsky; sob a regência de Murilo Alves, no Teatro do Cerrado

Os alunos e professores do Instituto Ciranda estão afinadíssimos para subir ao palco do Teatro Zulmira Canavarros nesta quarta-feira (30) para realizar o penúltimo concerto do ano. A Orquestra Sinfônica Ciranda Mundo neste espetáculo irá apresentar um repertório exclusivamente sinfônico, desenvolvendo um programa que registra elevado grau de complexidade musical, que pode ser considerado o mais difícil de 2016.

No repertório, composições de Carlos Gomes (Brasil), Henryk Wieniawski (Polônia), Franz Schubert (Áustria) e Tchaikovsky (Rússia). A regência caberá a Murilo Alves, presidente do Instituto e maestro principal da orquestra.

O concerto vai acontecer a partir das 20h, com ingresso social: dois quilos de alimentos não perecíveis. Ele acontece através da parceria que envolve o Instituto Ciranda e a Assembleia Legislativa, por meio da Sala da Mulher, que coordena os projetos de alcance social que o Legislativo de MT desenvolve.

Uma das atrações desta apresentação é a violinista e professora do Instituto Ciranda, Lindi Elis Mariane, musicista prata da casa do Ciranda. Ela vai solar ao violino duas composições do polonês Wieniawski, compositor e virtuoso violinista.

Lindi é considerada um dos mais proeminentes talentos da nova geração de violinistas mato-grossenses. Graças à sua vocação, já acumula, inclusive, experiências internacionais. Tem participado, como convidada, das apresentações da Orquestra do Estado de MT. Começou sua trajetória há oito anos, no Instituto Ciranda.

O Ciranda, vale o registro, é reconhecido pelo Anuário Viva Música (publicação de destaque da música brasileira), uma das dez mais importantes instituições do País na sua área de atuação. Lindi, musicista cria do Ciranda, também é acadêmica do curso de Licenciatura em Música da UFMT.

Programa – O concerto, segundo o programa do Instituto Ciranda, terá início com “O Guarani (abertura)”, de Antônio Carlos Gomes (1836-1896), que é apontado como o mais importante compositor de ópera brasileiro. Destacou-se pelo estilo romântico, com o qual obteve carreira de destaque na Europa.

Em seguida a orquestra vai interpretar as peças “Légende (Op. 17)” e “Scherzo Tarantella (Op. 16)”, de Henryk Wieniawski (1835-1880). Um violinista e compositor polonês, que faleceu na Rússia. O músico, com oito anos, ingressou no Conservatório de Paris. Viajou bastante, mostrando sua arte em vários países, como os Estados Unidos. Atuou como violinista na corte do czar Alexander II e ensinou no Conservatório Petersburg St.

De Franz Schubert (1797-1828) a Orquestra Ciranda Mundo vai interpretar “Rosamunde: Entreato III”. Foi um compositor austríaco do fim da era clássica, com um estilo marcante, inovador e poético. Quando vivo, Schubert não chegou a ser muito prestigiado, porém, o futuro lhe forneceu o título de um dos maiores compositores do século XIX, marcando a passagem do estilo clássico para o romântico.

Peter Ilyich Tchaikovsky (1840-1893), célebre compositor romântico russo, fecha o programa, com sua “Marcha Eslava (Op. 31). Pelo vigor e criatividade de sua obra, o compositor se transformou num dos mais populares e reconhecidos autores da música clássica de todos os tempos. Deixou sinfonias, concertos, óperas, ballets, peças para música de câmara e obras para coro para liturgias da Igreja Ortodoxa. (Com material da assessoria)

Fonte: DC Ilustrado

><>Observação de Meu Peixe: Está orquestra deveria ser a grande beneficiária das verbas públicas, pois além de seu corpo técnico de fato é uma grande incentivadora da música e descobridora de jovens talentos.

Admin

Este perfil publica Releases e material Da Assessoria

Você pode gostar...