Desapego – Poema de despedida de 2011…

Sinto, como sinto, com o passar dos anos
que minha alma, calmamente, vai se desapegando
deste corpo, que em verdade, nunca me pertenceu

O desapego do corpo, contudo, não significa desprezo
Não, tenho muito apreço por este corpo
que me carrega para onde vou, quando vou
sem se importar muito que seja tal ou aquele lugar

O corpo, repara, é um veículo, tem regras próprias
e qual a sua lógica, desde antes mesmo de ser
comigo dentro, elas já estão lá manipulando
da enzima mais precária ao ar que circula…

O corpo é um ciclo, que se cumpre perenemente
e a alma, com o tempo, percebe melhor ao tempo
qual o momento de desapego e voar ao sol…

><>Também vamos nos desapegando do ano de 2011 – feliz 2011 – e que 2012 seja melhor. Abraços fraternos ao todos.

Share Button