Dez mil alunos participam de Semana de Arte das Escolas Públicas Cariocas

Rio de Janeiro – Os 4 mil metros quadrados do Armazém 4 do Píer Mauá, na zona portuária do Rio de Janeiro, serão, até sexta-feira (6), palco da 1ª Semana de Arte das escolas públicas estaduais. A proposta pedagógica do evento, promovido pela Secretaria Estadual de Educação, é que os alunos tenham acesso a vários tipos de manifestações artísticas, muitas das quais eles não têm contato em seu cotidiano.

A Semana de Arte deve reunir cerca de 10 mil alunos das 1.358 escolas de todo o estado, durante os quatro dias de programação. Além da exposição de trabalhos feitos por alunos e professores, haverá apresentações de dança, música, artes visuais, teatro e feira de livros, com participação tanto de estudantes quanto de artistas contratados pela secretaria.

O secretário estadual de Educação, Wilson Risolia, que participou da abertura do evento, explicou que o projeto começou a ser pensado no início de 2011, a partir de uma pesquisa realizada pela própria secretária com alunos das escolas estaduais e seus responsáveis que mostrou que os jovens não possuem o hábito da leitura.

De acordo com Risolia, a pesquisa apontou que 90% dos estudantes dos 92 municípios do estado estão conectados às redes sociais, mas não têm o hábito de ler um livro a cada cinco anos. “Essa semana foi pensada dentro desse contexto pedagógico. Como trazê-los para o mundo da linguagem diferente daquilo que é convencional? Aí pensamos nessas manifestações artísticas, porque elas trabalham vários tipos de linguagem”, disse.

Para o secretário, além de incentivar a leitura e o conhecimento, o projeto estimula o desenvolvimento do talento dos jovens. “Esse jovem tem outra expectativa, vive em um mundo diferente. Ele sobretudo precisa se sentir protagonista desse mundo. Esse evento serve para isso. Eles são os artistas”.

Risolia acredita que, ao reunir linguagens artísticas como dança, cinema, teatro, folclore, entre outras manifestações, a Semana de Arte estimula o interesse dos jovens pela leitura. ” A gente confronta os jovens com essas diversidades de linguagens. Criar este momento onde eles possam trocar experiências, conhecer entre outros tantos trabalhos que são feitos pela rede. Serve também como um estímulo”.

O ator Brian Amorim, 19 anos, que fez uma apresentação com arte circense, ressaltou a importância da troca de experiências com os alunos.”Essa troca com crianças que nunca tiveram um contato com o mundo do circo por exemplo, é muito rica para elas, pois fomenta na cabeça delas novas ideias. É importante a junção da cultura com a escola”, disse.

Patrícia Maria, 35 anos, moradora de São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro, que foi assistir à apresentação de seu filho, gostou da iniciativa. “É um evento bom. É mais um incentivo para que eles aprendam mais, saiam do mundo das drogas, que é o principal problema daqui do Rio de Janeiro”.

Edição: Fábio Massalli

Admin

Este perfil publica Releases e material Da Assessoria

Você pode gostar...