Dois autores em prosa: Luiz Renato e Carlos Barros lançam o “Duplo Sentido”

Por João Bosquo

Este repórter com o escritor Luiz Renato

Este repórter com o escritor Luiz Renato

Compre um e leve dois. Não é liquidação, mas é de verdade. O livro “Duplo Sentido” é um, contudo tem dois livros embutidos numa mesma edição, que chega agora às mãos do leitor de Mato Grosso e Pernambuco, primeiramente, e depois para todo o Brasil, via o prestimoso serviço dos Correios. “Duplo Sentido”, um em dois, é de autoria de dois autores: Luiz Renato de Souza Pinto e Carlos Barros – de um lado, temos os escritos de Renato e, do outro, do Carlos. Agora não me pergunte qual é o primeiro sentido, ou o segundo, pois a montagem gráfica não permite distinguir.

A obra é um conjunto de prosa – que Luiz Renato define como crônica e Carlos Barros afirma que são contos. Relembrando Mário de Andrade, lá no inicio do século passado, que disse que “conto é tudo aquilo que o escritor define como conto”. E Luiz explica a sua definição de crônica para os seus textos nos quais narra momentos, passagens e reflexões sobre momentos, passagens nos quais fala dos amigos, como é o caso de Antônio Sodré de Souza Neto, no texto “Cadê o Poeta que Vivia Aqui?”, no qual conta uma visita à casa do saudoso autor de “Besta Poética”, que reúne parte da produção literária do poeta do Pedregal.

Já Carlos Barros diz que são contos, mas, sempre um mas, os primeiros textos pareceu-nos mais crônicas como a que narra na primeira pessoa – “Alumiando Nosso Espelho”, “A Propósito de Eventos Poéticos…”. Já “Conversando com Zanoto”, parece mais com conto. Bom, o leitor mais atento poderá definir melhor.

O livro é resultado do Edital do Conselho Municipal de Cultura de Cuiabá e chega às mãos dos leitores em lançamentos picados. O primeiro aconteceu em outubro, agora será no próximo dia 21 em Rondonópolis, com a presença dos dois autores, é bom que se diga. Por que essa ênfase? Porque Carlos Barros mora e trabalha em Recife, PE.

Daí vem a pergunta: como nasceu essa parceria? Viver de poesia, como dizia Vinícius de Morais, não é fácil. Luiz Renato conta que entre os anos de 1993 e 1994, Luiz Renato criou o personagem Garçom Performático, com o qual viajou o Brasil e esteve em 97 cidades de 17 estados, visitando os bares e vendendo poesia, com o seu “Cardápio Poético” e no início dessa jornada, em 1993, esteve em Curitiba e no bar PoemiA, localizado na Av. Visconde de Guarapuava, nas proximidades da Rodoferroviária, conheceu Carlos Barros, que trabalhava no Banco do Brasil, entre outros amigos, que nomina na apresentação do autor pernambucano. Depois de mais de 20 anos sem se verem, eis que reencontram em Recife e em dez dias de conversa surge a ideia do livro.

Tudo isso ficamos sabendo na apresentação de Carlos Barros, por Luiz Renato. No inverso, a apresentação de Luiz Renato por Carlos Barros, descobrimos que o pernambucano chegou a Curitiba em 1988 e por lá ficou 12 anos – é quando conhece Luiz Renato com o seu personagem. Os dois chegam a viajar até Minas para participar de um evento poético, imagina. Depois cada qual toma seu rumo e só voltam se encontrar por conta dessa coisa maravilhosa que é a internet e as redes sociais.

Luiz Renato, 54 anos, natural de Maringá, Paraná, entre idas e vindas, cuiabano, e aqui na Cidade Verde, mora e trabalha como professor de língua portuguesa e literatura, no IFMT, desde 2011. Além do citado “Cardápio Poético”, publicou “Matrinchã do Teles Pires” (1998) e “Flor de Ingá” (2014) e tem inédito “Gênero, Número e Graal”, uma coletânea de poemas e – como professor – procura estudar e escrever sobre a obra de Antônio Sodré.

Carlos Barros, 64 anos, nasceu em Recife, onde reside atualmente. É autor de “Fênix” (1989), pela Editora Arte Quintal, de Belo Horizonte; “Poesia, Carlos Barros e Paulo Rocha” (2001), pela Edições Tiê, de Recife; “quest” (2007), pela Editora Livro Rápido, de Olinda; em 1976, publica o livro artesanal, “Punhesias”, como participação na I Mostra Internacional de Arte Correio em Recife.

O primeiro lançamento aconteceu na Praça da Mandioca, com a presença de Carlos Barros, que ministrou duas palestras para os alunos de Luiz Renato. O segundo, agora em Rondonópolis, dia 21, segunda-feira, no Cais, da Secretaria de Cultura do Município. E o terceiro será em Olinda, PE, com uma data ainda não definida, mas o local, sim, será no bar Café dos Poetas.

PS: Olhando as fotos, notei que o livro (não falamos sobre isso), poderia se intitular também “Sentido Duplo”, o que não deixaria de ter essa conotação de “Duplo Sentido”.

PS 2: A noite de autógrafos que estava marcada para esta segunda-feira, 21, na cidade de Rondonópolis, foi transferida para dezembro.

Share Button