Empresa apresenta tecnologia de processamento de resíduos ao Governo

A empresa Voga Brasil apresentou nesta quinta-feira (14.10) a tecnologia biosfera ao governador Silval Barbosa e equipe da secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). A apresentação da tecnologia biosfera – que em resumo consiste no processamento de resíduos sólidos em recursos reutilizáveis – aconteceu no Salão de Reunião Governador José Garcia Neto. O secretário Coronel Polícia Militar Alexander Maia, disse que as “soluções inéditas apresentadas vem ao encontro das preocupações ambientais do Governo de Mato Grosso”.

A usina biosfera é uma tecnologia de processamento total de resíduos sólidos – do esgoto aos lixões, com aproveitamento de 100 por cento de todo material descartado como lixo. Cleiton Rabelo, diretor comercial da Voga Brasil, garante que a tecnologia usada na usina biosfera vai eliminar os “depósitos” de resíduos – chamados lixões, um dos maiores problemas ambientais das cidades – que continua a aumentar à medida que a população cresce.

A usina de compostagem de Cuiabá, por exemplo, está no seu limite. E essa tecnologia faz o aproveitamento desse resíduo e transforma em subprodutos. A gama de subprodutos vai da energia, passando pelo biodiesel e a cinza pozolânica, que usada na indústria da construção civil. Cleiton Rabelo diz que o concreto tem uma vida útil em torno de 50 anos, com a cinza pozolânica essa vida útil sobe para 75 anos.

São esses subprodutos que tornam a usina biosfera atrativa para os governos. A empresa comercializa os produtos e paga royalties ao município de onde o lixo é retirado. Além disso a instalação da usina gera crédito de carbono.

Cleiton Rabelo explica que a tecnologia biosfera é um processo de gaseificação que utiliza a combustão dos resíduos sólidos para criar uma fonte de calor que produz um vapor de alta temperatura que irá gerar a eletricidade. Assim, como a energia limpa, todos os demais subprodutos que voltam ao mercado com valores agregados.

A origem dessa tecnologia é filipina e está sendo representada no Brasil pela Voga Brasil. Thiago Reis, diretor da empresa, faz questão de esclarecer que “o sistema não interfere em nenhuma das políticas de saneamento das cidades”. A coleta de lixo continua responsabilidade das prefeituras e as cooperativas de material reciclável também não são afetadas.

Entre os motivos da escolha de Cuiabá apontados por Thiago Reis, estão o fato de Cuiabá ser uma das sede da Copa do Mundo 2014 e o Estado ter o Pantanal, um dos patrimônios naturais mais “cobiçados” pela indústria do turismo.

O secretário Alexander Maia disse que essa tecnologia vai ajudar a superar algumas situações constrangedoras vivenciadas por alguns municípios.

Fonte: Secom/MT

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...