Entre aspas: Blairo Maggi, aquele que apoiou o golpe de 2016, explica – com outras palavras – que deu ruim pra MT

><>: O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em entrevista ao jornalista Douglas Trielli, do MidiaNews, na qual fala do quadro sucessório, de seu apoio (ou não) ao amigo Mauro Mendes, entre outras análises de momento, faz sem querer uma revelação, que comprova o quanto o golpe parlamentar-judicial-midiático foi ‘ruim’ para Mato Grosso.

Abre aspas:

MidiaNews – Em Mato Grosso, o governador Pedro Taques tem sofrido por conta do cenário econômico, com dificuldade em pagar salário, repassar duodécimo aos Poderes e caixa para fazer investimentos. O senhor acredita que é possível sair dessa crise ainda em 2018?

Blairo Maggi – Eu não tenho os números e não tenho acompanhado de perto. Mas, de uma maneira geral, sempre defendi que Mato Grosso não é um Estado inviabilizado. É um Estado que tem dificuldades momentâneas de caixa em função de receitas e despesas. As despesas cresceram muito nos últimos anos e a arrecadação não diminuiu, mas a crise brasileira, que vivemos desde 2015, fez com que os repasses da União para os Estados diminuíssem muito, porque diminuiu a arrecadação brasileira.

Então, as despesas continuaram crescendo e as receitas diminuíram, embora a receita própria tenha crescido. Esse é um dilema. Creio que é possível arrumar, fazer ajustes, fazer sacrifícios, postergar algumas coisas que se queira fazer. Mas, diferente de outros Estados inviabilizados, Mato Grosso tem viabilidade. É uma questão de ajustes e políticas de curto prazo.

Fecha aspas.

Maggi, claro, jamais reconhecerá o seu apoio (com traços de trairagem) como golpista e que o golpe resultado do vem causando prejuízos aos combalidos cofres da Sefaz/MT.

A conta é simples.

Com o golpe as receitas da União caíram. Por consequência os repasses para os Estados e municípios também.

Maggi, que sabe dos números, pois já também foi governador, informa que a arrecadação direta do estado – apesar da crise – cresceu e o que está pegando é a baixa arrecadação da União.

Por que é que a arrecadação da União está em baixa? Por que o governo federal – ilegítimo – ao invés de incentivar a economia, provoca a recessão, para agravar a crise e justificar as “reformas”, goela abaixo da população como a da previdência.

Lógico, por conta de seu apoio ao golpe, Maggi não pode se dizer contra ou fazer críticas à política econômica do governo do qual participa e ajudou a assumir o poder e diz que “Lá na frente, a história vai reconhecer o presidente Michel Temer como um grande presidente, reformista, que está colocando o Brasil no rumo que precisa. E colocar alguma coisa no rumo não é simplesmente fazer coisas agradáveis”.

A crise, claro, não atinge os ricos, ao contrário. Tanto é que Blairo Maggi está comprando a fazenda Itamarati, do finado Olacyr de Moraes por nada mais, nada menos que R$ 2,2 bilhões, algo em torno de U$ 687,5 mi ao câmbio atual. 

Source: MidiaNews

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...