Entre aspas: Blairo Maggi escapou da primeira, safou-se da segunda, mas agora a PF diz que HÁ indícios de embaraços à operação Ararath por parte do senador

><>O senador licenciado, ex-governador de Mato Grosso e ministro da Agricultura do governo golpista de Michel Temer será réu no conjunto dos processos da operação Ararath.
A PF finalmente descobriu “indícios suficientes” que indicam que o indigitado agiu para embaraçar as investigações.
Matéria no site “Ponto na Curva”, assinada pela jornalista Antonielle Costa.

Abre aspas:

PF diz que há indícios suficientes de que Maggi atuou para embaraçar a Ararath
O relatório da PF traz que as constatações decorrentes do material apreendido durante as buscas envolvendo o ministro são harmônicas com as informações prestadas pelos colaboradores

Eder Moraes e Blairo Maggi observam Silval Barbosa

Por Antonielle Costa | A Polícia Federal concluiu, em relatório parcial, pela existência de “indícios suficientes e aptos a justificar a continuidade e aprofundamento das investigações em relação a conduta de Blairo Borges Maggi”, após a deflagração da Operação Malebolge, em setembro do ano passado.

O ministro da Agricultura é acusado de “embaraço a investigação de infração penal envolvendo organização criminosa e corrupção de testemunha” juntamente com mais sete pessoas, no bojo de um inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

O relatório da PF traz que as constatações decorrentes do material apreendido durante as buscas envolvendo o ministro são harmônicas com as informações prestadas pelos colaboradores, neste caso, o ex-governador Silval Barbosa e seu ex-chefe de gabinete, Silvio César.

Em suas delações, Silval e Silvio afirmaram que Maggi juntamente com o primeiro colaborador teriam pagado a quantia de R$ 6 milhões ao ex-secretário de Estado, Éder Moraes Dias, no ano de 2014, a fim de que este se retratasse dos depoimentos que prestou perante o Ministério Público de Mato Grosso no início do mesmo ano.

Silval revelou que sua parte foi paga com recursos oriundos de propina paga pela empresa Três Irmãos Engenharia. Já de Maggi por um empresário.

“Nesse contexto, foi realizada a análise de parte dos documentos apreendidos nas sedes das empresas do grupo, a qual se encontra consubstanciada nos Relatórios de Análise 005/2017 e 008/2017- GT/ARARATH/SR/PF/MT, os quais, em razão da pertinência com o Caso I, foram juntados a estes autos. Nos documentos acima, foram constatadas operações suspeitas que devem ser aprofundadas e que também são consentâneas com o contexto apresentado pelo ex-governador Silval Barbosa”, diz um trecho do relatório.

Leia mais no site Ponto na Curva: PF diz que há indícios suficientes de que Maggi atuou para embaraçar a Ararath | Ponto na Curva

“>

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...