Entre Aspas da Gazeta: Dinheiro da AL comprou vaga de Sérgio Ricardo, diz Riva

COMPRA E MENSALÃO

Dinheiro da AL comprou vaga de Sérgio Ricardo, diz Riva

Foto: João Vieira/AGazeta

Rafael Costa, repórter do GD O ex-deputado estadual José Riva (sem partido) revelou na tarde desta sexta-feira (31) que a quantia de R$ 2,5 milhões desviado dos cofres da Assembleia Legislativa serviu de pagamento para comprar a vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE) em favor do ex-deputado estadual Sérgio Ricardo.

Atualmente, Sérgio Ricardo está afastado do TCE desde janeiro deste ano por força de uma liminar concedida pelo juiz da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Popular, Luis Aparecido Bortolussi Júnior.

O Ministério Público Estadual (MPE) acusa Sérgio Ricardo de comprar a vaga de conselheiro do TCE de Alencar Soares pelo valor de R$ 12 milhões.

No reinterrogatório dado perante a juíza Selma Arruda, Riva ainda revelou que os ex-governadores Dante de Oliveira (já falecido), Blairo Maggi (PP) e Silval Barbosa (PMDB) autorizavam o pagamento de mesadas mensais aos deputados estaduais em troca de apoio político.Durante o depoimento, Riva deu detalhes e admitiu que a negociação foi feita em 2009 durante uma viagem a África do Sul que contava com representantes do governo do Estado, Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas para acompanhar a realização de obras da Copa do Mundo.

No período de 2005 a 2008, de acordo com Riva, o governo Blairo Maggi teria repassado um total de R$ 37,5 milhões aos deputados que exerceram mandato neste período. A propina mensal variava de R$ 15 mil a R$ 25 mil para cada um dos parlamentares.

“Nesse período [2003 a 2004] foram movimentados R$ 1,1 milhão. Em 2005 aumentou para R$ 3,4 milhões. Em 2006 foram R$ 6 milhões. Em 2007, quando era presidente o Sérgio Ricardo, R$ 12 milhões. Em 2008, R$ 15 milhões”, disse Riva, que foi ex-presidente da Assembleia por vários mandatos.

Em mais de cinco horas de depoimento, foram citados os nomes de 34 supostos beneficiários da propina: o ex-deputado e ex-governador Silval Barbosa; o ex-deputado e atual conselheiro afastado do TCE, Sérgio Ricardo; os deputados Mauro Savi, Dilceu Dal Bosco, Pedro Satélite, Sebastião Rezende, Zé Domingos, Guilherme Maluf, Wagner Ramos, Adalto de Freitas; o ex-deputado e atual secretário adjunto da Casa Civil, Carlos Brito; o ex-deputado e atual conselheiro do TCE, Campos Neto.

A relação se completa com os ex-deputados Nilson Santos, Airton Português, Eliene Lima, Maksuês Leite, Ademir Bruneto, João Malheiros, Zeca D’Ávila, Nataniel de Jesus, Antônio Brito, José Carlos de Freitas, João Malheiros e Renê Barbour; o ex-conselheiro do TCE Alencar Soares; o ex-deputado e ex-secretário de Educação, Carlão Nascimento; o ex-deputado e ex-prefeito de Várzea Grande, Wallace Guimarães; o ex-deputado e ex-prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz; o ex-deputado e ex-conselheiro do TCE, Humberto Bosaipo; o ex-prefeito de Sinop, Juarez Costa; o ex-deputado e ex-prefeito de Cuiabá, Chico Galindo; a ex-deputada e ex-vereadora Chica Nunes e o já falecido ex-deputado Walter Rabello

Fonte: Gazeta Digital

><>Nós – eu e Meu Peixe – estamos curiosos (curiosidade mata?) para saber qual, sim, qual a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso não foi comprada?

Ao citar os nomes, inclusive de correligionários antigos, falecidos e mortos politicamente, o Meu Peixe teoriza que o ex-deputado José Riva, que foi um dos homens mais forte de Mato Grosso, está mirando alguém em específico. Mas, fica a pergunta: quem?

Outra: pelo visto tem mais gente já que o mensalinho – ou marmita como dizia o deputado Carlos Bezerra – começou lá no governo Dante de Oliveira, mas pelo visto o ex-deputado não tem provas. Tanto que ressaltou que apenas Chico Daltro, Ságuas Moraes, Vera Araújo e José Carlos do Pátio, no período de 2003-2007, não pegaram.  

Namarra

Matérias, notas que nós (eu e Meu Peixe) gostaríamos de escrever e observações diversas.

Você pode gostar...