Entre Aspas: Delator afirma que esquema na Seduc/MT era para saldar doação para Pedro Taques; GCom rebate por meio de nota de esclarecimento 

Matéria assinada pelo jornalista Lucas Bólico, do Olhar Direto, revela que

Abre aspas: O empresário Giovani Guizardi afirmou em colaboração à Justiça que o esquema de fraudes investigado pelo Gaeco na Operação Rêmora foi criado para ressarcir doações feitas para a campanha do governador Pedro Taques (PSDB), em 2014. A delação do empresário, preso na primeira fase da operação já foi homologada pelo Tribunal de Justiça. […] Guizardi envolve em sua delação o nome do empresário Alan Malouf, que doou R$ 10 milhões para a campanha de Taques e disse ao delator que teria de recuperar esse dinheiro. O próprio Guizardi doou para o governador. Ele relata que colaborou com R$ 300 mil e que está é uma prática que tem o costume de fazer para não ter “dificuldades”. Fecha aspas.

Com o a citação do nome do governador Pedro Taques, o GCom – Gabinete de Comunicação divulgou a seguinte nota de esclarecimento:

NOTA DE IMPRENSA

Diante das notícias trazidas a público nesta quinta-feira (01.12) pela imprensa sobre suposta “delação” do réu na operação Rêmora, Giovani Belatto Guizardi, o Governo de Mato Grosso esclarece:

01) O governador Pedro Taques tomou as medidas que lhe competiam – quando da deflagração da Operação Rêmora (que apura eventuais crimes contra o patrimônio público na Secretaria de Estado de Educação – Seduc) -, exonerando e/ou afastando todos os servidores públicos denunciados, inclusive o ex-secretário de Educação. Tal medida, por si só, demonstra a firmeza do governador e do Governo no combate à corrupção e na apuração de qualquer denúncia que envolva atos de improbidade no âmbito do Governo do Estado de Mato Grosso;

02) O governador lamenta o envolvimento de seu nome no caso, refuta com veemência qualquer tentativa de envolve-lo em qualquer ato ilegal, uma vez que jamais tratou com quem quer seja de nenhum assunto relacionado à investigação;

03) Pedro Taques lamenta, ainda, que pessoas do seu convívio pessoal, político ou partidário possam estar envolvidas em malfeitos, e reitera seu entendimento de que ninguém está acima da lei e apoia investigação para que, ao final, comprovados os fatos denunciados, todos os envolvidos sejam punidos com o rigor da lei.

04) O governador reitera o que já disse em outras situações, de que a prestação de contas da sua campanha eleitoral de 2014 foram aprovadas sem ressalvas pela Justiça Eleitoral, e que por essa razão, repudia toda e qualquer tentativa de envolvê-lo em qualquer ato ilegal, prática que ele sempre combateu ao longo da sua vida, especialmente nos 15 anos nos quais atuou como Procurador da República.

Cuiabá-MT, 01 de dezembro de 2016.

GCOM – Gabinete de Comunicação do Governo de Mato Grosso.

><>Observação de Meu Peixe:

Quanto a dizer que as contas estão aprovadas pela Justiça Eleitoral, ele lembra que as contas da ex-presidenta Dilma Rousseff também foram aprovadas e no entanto o ministro Gilmar Mendes está ainda a procura de falhas para justificar a cassação da chapa Dilma/Temer.

Essa norma, pelo visto, não vale mais nada. Depende apenas do humor do juiz de plantão.

PS.: O ex-secretário da Seduc citado é Permínio Pinto, que a GCom omitiu por delicadeza, já que trata de membro do mesmo partido do governador.

Share Button