Entre aspas: no Brasil, Henrique Meirelles é o foco do vazamento global que revela offshores de autoridades nas ilhas Bermudas, mas o bilionário Blairo Maggi também está entre os relacionados

Série jornalística dos ‘Paradise Papers’ se baseia em vazamento de 1,4 terabytes de dados da firma de offshores Appleby, uma das maiores do mundo divulgado pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) e no Brasil tem a participação do site Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues

Segundo o site Poder360,  abre aspas: o ministro da Agricultura aparece relacionado a uma offshore chamada Ammagi & LD Commodities SA. De acordo com os registros da Appleby, o ministro da Agricultura é diretor da offshore, junto com outros familiares.

A empresa tem o mesmo nome de uma empresa registrada no Brasil, da qual a empresa da família Maggi é sócia. Trata-se de uma joint venture entre os Maggi e o grupo multinacional de origem holandesa Louis Dreyfus Company, especializado na produção e comercialização de matérias primas, principalmente grãos.

A joint venture brasileira é a controladora da offshore em Cayman.

Maggi – que já foi governador de Mato Grosso (de 2003 a 2010), é senador licenciado pelo PP, cargo para o qual foi eleito em 2010. A empresa da família chegou a ser a maior produtora mundial de soja, nos anos 1990 e começo dos 2000. Em 2014, a revista Forbes publicou que Blairo Maggi era o segundo político mais rico do país, com uma fortuna estimada em R$ 960 milhões, pela mesma revista.

Segundo o Poder360, a Louis Dreyfus Company e a empresa dos Maggi firmaram uma parceria em 2009 com o objetivo de atuar no mercado de grãos na Bahia, Maranhão, Piauí e Tocantins. O objetivo seria a exportação.

Ao Poder360, o ministro negou qualquer tipo de irregularidade. Ele diz não ter recebido pagamentos diretos da empresa nas ilhas Cayman, e sim da empresa em solo brasileiro. Fecha aspas.

Fonte: Novo vazamento global revela offshores de Henrique Meirelles nas ilhas Bermudas

><>Algumas pessoas podem até achar que a vida é assim mesmo, que ricos podem ter contas em paraísos fiscais. Também acho, mas não acho que ministros de estados, como é o caso de Henrique Meirelles e Blairo Maggi,  possam.

Que um desqualificado como Eduardo Cunha tenha, é uma coisa. Mas não podemos aceitar – por mais condescendente que sejamos com o golpe – que um ministro que comanda a nossa economia.

Share Button