Entre Aspas: Nilson Leitão, que votou pelo impeachment de Dilma, é apontado como participante do esquema de corrupção na Seduc/MT

12931061_1040402192674416_3872224538728990844_n
Giovani Guizardi em badalado evento social

Matéria assinada pelo colega Rafael Costa, do portal Gazeta Digital.

Abre aspas: No depoimento que prestou ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no dia 16 deste mês, o empresário Giovani Guizardi, revelou que a cúpula do PSDB foi responsável pela indicação dos principais servidores públicos que compunham uma organização criminosa na Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para desviar dinheiro público. O esquema mirava contratos firmados com empreiteiras destinados a reforma e construção de escolas. As empresas pagavam propina para ter a liberação de pagamentos pelos serviços prestados bem como para se beneficiar de fraudes em licitações. Conforme dito aos promotores de Justiça, o deputado federal e presidente do diretório estadual do PSDB, Nilson Leitão, foi responsável pela indicação do ex-secretário de Educação, Permínio Pinto, e do ex-assessor especial, Fábio Frigeri. Já o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Guilherme Maluf, indicou os ex-superintendentes de Infraestrutura Escolar, Wander Luiz dos Reis e Moisés Dias da SilvaFecha aspas.

Vamos combinar assim: o deputado federal tucano Nilson Leitão, um daqueles tantos que votou pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff, nesta hora deveria fazer um ato de contrição e pedir desculpas ao Brasil, mas isso jamais vai acontecer.

O deputado estadual Guilherme Maluf, também tucano, presidente da AL-MT, apesar de sua discrição, que até ontem era tido como um exemplar empresário de sucesso, começa ver a sua imagem ser desconstruída.

Lembrando que Permínio Pinto, ex-titular da Seduc, era um que pontificava – assim como Giovani Guizardi – nas manifestações “contra” a corrupção e agora está atrás das grades.

Na outra ponta esse desgaste todo acaba respingando no governador Pedro Taques, já que ele estava no PDT, que fazia parte da base aliada do governo federal, mas se mudou de mala e cuia pro ninho tucano.

Fonte: Gazeta Digital

Share Button