Este Natal sem Barba de Papai Noel

Este Natal, sinto, chegou primeiro
Mais depressa que os outros natais…

Será que é o Menino Jesus quem pede
Que andemos mais rápido,
Sejamos tolerantes, mais amigos,
Menos intransigentes com os outros?

Ou sou eu apenas, que velho,
Sem barba de Papai Noel, vejo o tempo
– apesar dos olhos fracos – doutro jeito
E chego sentir o meu tempo esvair?…

Não! O tempo está mais ligeiro e,
Creio também, Jesus tem pressa,
De que possamos encontrar
O sentido de comemorar o natal.

><> Quando não consigo, ou melhor, quando a inspiração não baixa, volto a repetir os poemas anteriores sobre o natal. Este é um deles, está no livro “Imitações de Soneto”.

Share Button