Faça!

Quando não puder fazer bem feito, com carinho, esmero; faça sem cerimônia, nas coxas, empurrando com a barriga, mas não deixe de fazer.
O malfeito pode ser consertado, arrumado, até mesmo ser refeito.
Mas se aquilo que sabíamos que tinha que ser feito e deixamos para trás, por falsas alegações de esperar as condições ideais que no íntimo sabíamos que nunca chegariam, é imperdoável. Pois ninguém, alguém ou qualquer pessoa jamais irá consertar, arrumar ou fazer melhor.

— João Bosquo

 

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Fellipe Bosco disse:

    Muito bom