Funarte promove mostra de teatro e dança como piloto para retomada do Mambembão

 Paulo Virgílio

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) promove, a partir do próximo dia 28, uma mostra que pretende ser o piloto de um resgate do Projeto Mambembão, que marcou época nas décadas de 1970 e 1980. A iniciativa trará ao Rio, até 1º de abril, grupos de teatro de outros estados, que normalmente não conseguem apresentar seus trabalhos no Sudeste, embora tenham feito montagens que alcançaram sucesso de público e crítica.

Realizado pelo então Serviço Nacional de Teatro (SNT), do Ministério da Educação, o Mambembão fomentava a circulação de espetáculos de teatro e dança das cinco regiões do país. A Funarte pretende relançar o projeto por meio de um edital que irá contemplar produções independentes ou de grupos e companhias de dança ou de teatro.

“A Funarte, ao reeditar o projeto, abre espaço ao talento e à criatividade de artistas do país inteiro. É também uma forma de dar visibilidade a grupos que muitas vezes têm um trabalho de destaque em suas cidades, mas nem sempre conseguem se apresentar em outras regiões”, explica o presidente da Fundação, Antonio Grassi.

Com curadoria na área de dança da produtora Regina Levy e na área de teatro do crítico Macksen Luiz, a mostra piloto terá 15 espetáculos em três teatros administrados pela Funarte no Rio de Janeiro: Dulcina, Cacilda Becker e Glauce Rocha.

No Teatro Dulcina, no centro do Rio, serão apresentados os espetáculos de dança Perfume para Argamassa, de Goiás, e O Fio das Miçangas, de Pernambuco, e as peças teatrais Heróis, O Caminho do Vento, de Brasília, Arvores Abatidas ou para Luis Mello, do Paraná, Anjo Negro, de Mato Grosso, e o grupo In.co.mo.de.te, do Rio Grande do Sul.

Ainda no centro, o Teatro Glauce Rocha abrigará três peças: Isso te interessa? (PR); Essa Febre Que Não Passa (PE) e Cabaré das Donzelas Inocentes (DF). No Teatro Cacilda Becker, no Catete, serão apresentados cinco espetáculos de dança – Novo Algo de Sempre (MG); 1(Uma) (SC); Vago (MG); Rastros Híbridos (AM) e Sol (BA) – e três de teatro: Pólvora e Poesia (BA); É Só uma Formalidade e Outro Lado, ambos de Minas Gerais.

Todos os espetáculos da mostra serão apresentados às 19h, com ingressos a R$ 5 e a R$ 2,50, a meia-entrada para estudantes e idosos.

Share Button