Governador Pedro Taques aceita pedido e exonera Leandro Carvalho, um dia depois de Eduardo Mahon renunciar ao posto de membro do Conselho Estadual de Cultura

Por João Bosquo | Um dia, ou menos que um dia, depois de Eduardo Mahon renunciar ao seu mandato de membro do Conselho Estadual de Cultura (CEC) e denunciar resistência do presidente em realizar a eleição para o cargo de vice-presidente do CEC, o governo de Mato Grosso anuncia a exoneração do secretário de Cultura, maestro Leandro Carvalho.

Uma das formas mais belas é cair para cima.

Segundo a nota divulgada nesta sexta-feira, 22, pelo Gabinete de Comunicação (GCom), assinada pelo secretário Kleber Lima (que assumirá a pasta de Cultura),  “Leandro foi selecionado para um programa de Chevening / Clore Leadership Programme no Reino Unido, com foco nas Indústrias Criativas – um dos mais importantes e competitivos programas de formação de lideranças do mundo, financiado pelo Foreign and Commonwealth Office (FCO) do Reino Unido e Clore Duffield Foundation. Foram mais de 65 mil pessoas concorrentes, de 140 países, para menos de 2% de selecionados”.

Leandro Carvalho deixa o posto de secretário com uma rejeição muito grande no meio cultural. Era comum ouvir entre gestores, produtores e até artistas que o secretário é uma pessoa inacessível. Segundo consta, Leandro Carvalho raramente comparecia a eventos que não fosse da própria pasta.

Poucas, ou raras vezes compareceu na Casa Barão de Melgaço. Esteve na comemoração dos 95 anos da Academia Mato-grossense de Letras (AML), evento realizado no Palácio da Instrução, com o governador como convidado especial.

Nos diversos lançamentos e eventos voltados para o livro como as feiras literárias etc. Leandro Carvalho compareceu apenas nas premiações do MT Literatura realizados no Palácio Paiaguás. Shows??? Peças de Teatros??? Sim, naqueles que estava patrocinando ou era participante como regente ou em eventos (não todos) no Cine Teatro.

Adeus, boa viagem e boa estadia no Reino Unido.

Rei morto, rei posto, o jornalista Kleber Lima deixa a Comunicação e assume a pasta da Cultura.

Não lembro de Kleber Lima em debates artísticos culturais, jornalismo letrado, prosa ou verso, mas sim nas editorias de política, mas em relação ao ex-secretário Leandro Carvalho  tem uma grande, enorme vantagem: é mais aberto a conversa, se expõe mais e acreditamos (e torcemos) que irá abrir efetivamente as portas da SEC para o bom e produtivo diálogo.

Leia também: Eduardo Mahon não concorda com as mudanças “ilegais” para escolha de vice-presidente do Conselho Estadual de Cultura e renuncia ao cargo de conselheiro

Share Button