Governador Silval e Marcos Terena declaram abertos os Jogos dos Povos Indígenas

Por João Bosquo | A abertura oficial do XII Jogos dos Povos Indígenas aconteceu neste sábado (09.11), cuja solenidade teve início logo depois do por do sol, com desfile de todas as delegações participantes, inclusive de povos indigenas de outros países das Américas. Os jogos foram declarados oficialmente abertos em conjunto pelo governador Silval Barbosa e pelo o líder indigena Marcos Terena, com a presença da ministra da ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, e o vice-governador Chico Daltro, entre outras autoridades.

A solenidade de abertura dos jogos aconteceu no Jardim Botânico, no distrito de Sucuri, numa área de sete hectares, na qual foram instaladas, entre outros equipamentos, uma arena de areia de cem por 80 metros, arquibancadas com capacidade para seis mil pessoas, e paralelamente acontece I Feira Nacional da Agricultura Tradicional Indígena. Os jogos é uma realização do Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena, em parceria com o Governo de Mato e Governo Federal e apoio da prefeitura Municipal de Cuiabá.

O governador Silval Barbosa disse que a relização dos Jogos dos Povos Indígenas em Cuiabá, Mato Grosso, demonstra o respeito que gestão pública com os indígenas. “Nos temos uma forte ligação com todas as etnias em nosso estado e estamos orgulhosos e honrados em realizar este XII Jogos dos Povos Indígenas em Mato Grosso”, disse. O governador destacou também os números: são mais de 1600 indígenas, representantes de 16 países, entre delegações participantes, embaixadores, lideranças e 48 etnias, sendo sete estrangeiras.

O vice-governador Chico Daltro destaca que Mato Grosso tem uma convivência positiva com todos os povos indígenas e tem, embora a tutela seja do governo federal, desenvolvido diversas ações no aprimoramento dessa relação entre índios e não-índios.

A ministra Luiza Bairros, em sua fala, manifestou desde já o apoio do governo federal na realização do primeiro jogos internacional dos povos indígenas, proposta do Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena e que tem Marcos Terena como articulador. Ela disse ainda que “é muito importante festejar a resistência dos povos indígenas”. E a energia que emana de um momento como da abertura é que faz com que se procure lutar por um Brasil mais igual e mais justo.

Marcos Terena disse que a realização dos jogos é uma oportunidade de mostrar que os povos indígenas não são inimigos do homem branco. “Queremos olhar para o futuro, mas cada povo escrevendo sua cultura e respeitando as diferenças”. Ele destacou ainda a realização da I Feira de Agricultura, na qual estão expostos os produtos confeccionados por diversas etnias, como colares, pulseiras e outros adereços e também produtos agrícolas como mel e própolis.

A abertura dos jogos iniciou com a realização de um ritual sagrado por parte de um pagé Paresi. Em seguida, um jovem atleta de corrida de tora da etnia kraô, entrou com a tocha de fogo sagrado. Depois seguiu-se o desfile de todas as delegações participantes. Após a execução do hino nacional aconteceu a corrida de tora, masculino e feminino.

Estiveram presentes a primeira dama e secretária Roseli Barbosa, os secretários Francisco Faiad (Administração), Janete Riva (Cultura), Maurício Magalhães (Secopa), Pedro Nadaf (Casa Civil), Alan Zanatta (Sicme), Alexandre Bustamante (Segurança), Carlos Rayel (Comunicação), o deputado federal Wellinton Fagundes, os deputados estaduais Emanuel Pinheiro e Teté Bezerra.

Fonte: Secom/MT

Share Button