Infraero garante que calendário para construção do Marechal Rondon será cumprido

O calendário de lançamento do edital e construção da ampliação do Aeroporto Internacional de Cuiabá e Várzea Grande Marechal Rondon estão mantidos. O Governo de Mato Grosso é que irá licitar e executar as obras. A informação é do secretário extraordinário de Estado de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes (Selit), Francisco Vuolo, que na última semana, teve – com a participação do secretário de Cidades, Nico Baracat – mais uma reunião na Superintendência da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), em Brasília.

Essa reunião, segundo Francisco Vuolo, “foi bastante produtiva. Foram equacionados os últimos detalhes, com a empresa Globo Engenharia, que está elaborando o projeto básico e depois irá fazer o projeto executivo”. Nessa reunião a Globo mostrou como será a nova fachada do Aeroporto Marechal Rondon. O projeto deverá ser concluído até 31 de outubro. Com a conclusão do Módulo Operacional Provisório (MOP) em dezembro, imediatamente começa o processo de construção e reforma da parte definitiva.

Na reunião foi reafirmado, conforme o convênio assinado com o Governo do Estado, que o Estado de Mato Grosso vai licitar e executar a obra de ampliação de terminal de embarque e desembarque. Por conta dos novos ajustes, a obra agora está orçada em R$ 88 milhões. Os recursos serão da Infraero, que repassará ao Governo.

A manutenção do calendário conveniado com a Infraero é o foco do Governo de Mato Grosso. A construção do novo terminal vai proporcionar mais segurança ao segmento hoteleiro que está investindo na ampliação do número de leitos com vistas a Copa do Mundo. O empresário do segmento turístico – segundo Vuolo – que já viu a construção do MOP sair do papel, tem agora a certeza que o turista vai ter como chegar até Cuiabá e não ser surpreendido ou mesmo desmotivado a viajar para conhecer o nosso potencial.

O projeto já está praticamente pronto. Segundo Vuolo a Global Engenharia mostrou os avanços no projeto, bem como o desenho do estacionamento. O novo estacionamento irá triplicar a sua capacidade. Ficam faltando apenas os ajustes quanto as obras do acesso viário. Esses ajustes dependem da definição do modal a ser adotado, se Bus [ônibus] Rapid Transport (BRT) ou Veículo Leve sobre Trilho (VLT). O estacionamento passa para 400 lugares.

Essa nova etapa prevê o alargamento da pista de desembarque, que deverá ter 23 metros de largura, área exclusiva para voos internacionais, pontos de freeshop, oito novos boxes, quatro esteiras modernas e mais uma quinta para desembarque internacional.

Fonte: Secom/MT

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...