Interurbanos

Os telefonemas de Cessa Lenine
são razoavelmente intermitentes
São para lembrar que sou pai, ela filha
que devo sentir saudades pátria dela

Que devo pedir notícias missivistas
falar das esperanças de viagens
e em, apesar da crise, visitá-la
Os telefonemas de Cessa Lenine

despertam mil sentimentos escondidos
das veias dos olhos – que lagrimejam,
desdobram-se uns pingos de sais luminantes

Os telefonemas de Cessa Lenine
são interurbanos e muito das vezes
falam próximos de uma longa distância.

 ><>Hoje minha filha mais velha, Cessa Lenine, faz aniversário. Longe, eu aqui em Cuiabá e ela na Capital paranaense, só posso desejar, sempre, feliz aniversário que tenha saúde ao lado dos seus.

Mais  uma vez repriso aqui  este poeminha.

Poemas de João Bosquo
Share Button