Lembranças Eternas – Um poema de João Bosquo

Não tenho tantas dores para contar:
Quebrei o braço, fui pro Santa Casa,
Me roubaram a namorada e chorei,
Perdi o ônibus, atrasado, perdi o emprego…

As alegrias, por inúmeras, são várias
Que não saberia contá-las
Chego tentar calcular uma centena,
Uma milhar, como aquela aposta
E passou raspando

Ser alegre não é ser feliz,
Mas momentos felizes acontecem
Assim num repente,
Como o qual quando o filho nasce,
O coração palpita ao ver o bichinho no berçário…

Outra alegria, de menos é mais,
Quando, mesmo desempregado,
Alguém nos procura, não pra socorrer,
Mas pedir ajuda que só podemos dar…

A vida tem traços, nuances,
Marcas, algumas indeléveis,
Talvez, por isso, vale a pena viver
E forçar a memória
Pras lembranças eternas.

21/10/2017
Share Button