Luís Carlos Valois, juiz penal, detona o filme sobre a lava-jato de Sérgio Moro

Como bem diz a sabedoria popular existem juízes e juízes. O juiz Luís Carlos Valois é um desses juízes que a população, o sistema jurídico respeita, admira, enfim. Ele em seu perfil, no Facebook acaba de postar um comentário em cima de uma foto na qual aparece o juiz Sérgio Moro rindo durante a exibição do filme sobre a lava-jato.

O juiz Luís Carlos Valois escreve: Se o filme fosse sobre algum processo que eu já tive em minhas mãos, ninguém iria sorrir, nem eu, nem ninguém. Talvez fosse um filme de drama, talvez um de suspense, podia até ser um de terror, mas nenhum com a capacidade de se fazer sorrir comendo pipoca. Poderia fazer chorar, fazer virar a cara, dar nojo e até dar vontade de sair do cinema, mas nunca fazer sorrir. A justiça penal verdadeira não devia ser local, motivo, de alegria, mas de tristeza sempre, porque, quando age, age demonstrando o quanto falhamos como sociedade. Não importa se a atuação da justiça penal pode ser transformada em algo plasticamente belo, o que já é uma deturpação da verdade, a justiça penal é triste, deve ser triste, para o bem da sociedade e da possibilidade de se manter são. Eu não vi esse filme, mas se ele é sobre justiça penal, polícia e prisão, e causa essa alegria toda, eu não vou ver…

Se o filme fosse sobre algum processo que eu já tive em minhas mãos, ninguém iria sorrir, nem eu, nem ninguém. Talvez…

Publicado por Luís Carlos Valois em Quinta-feira, 31 de agosto de 2017

><>O juiz Sérgio Moro, em sua vaidade, ainda não percebeu o papel ridículo que se submete ao participar de uma avant-premiere de um filme sobre ele mesmo. Esse filme ele deveria assistir em casa, sozinho e nunca comentar se gostou ou não do filme…

As primeiras crísticas não são elogiosas. O filme – pelo que li – é ruim, maniqueísta ao extremo e, além disso, começou a cair a ficha em grande parte da população que vê o juiz de Curitiba como participante do golpe que colocou a quadrilha de mishell temer no poder.

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR

Você pode gostar...