Mato Grosso vai investir em infraestrutura turística e viabilizar linhas de créditos para rede hoteleira

Mato Grosso vai estar apto para receber e hospedar os turistas que virão para assistir a Copa do Pantanal em 2014 em Cuiabá. No que depender do Governo do Estado e da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Pantanal – FIFA 2014 (Agecopa) o Aeroporto Marechal Rondon e a rede hoteleira vão estar de acordo com as exigências da FIFA para a realização já da Copa das Confederações.

“Cuiabá não é uma das sedes da Copa das Confederações”, avisa o diretor de Assuntos Estratégicos, Yuri Bastos Jorge, “mas queremos estar prontos para nos qualificarmos para receber também esse evento”.

A falta de leitos na rede hoteleira não é um caso isolado de Cuiabá. Todas as cidades sedes da Copa do Mundo estão enfrentando a mesma realidade, segundo o Yuri Bastos Jorge. Tanto é que o Governo Federal já colocou a disposição, através do BNDES, R$ 1 bilhão para o setor hoteleiro usar na construção de novos hotéis, compra, reforma de bares, restaurantes e pousadas; o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro Oeste (FCO) já tem a disposição quase R$ 500 milhões também para o setor hoteleiro. E está criando alguns alternativas de fomento do setor privado, mesmo porque não cabe ao poder público fazer investimento na construção de hotéis.

“O que Estado pode fazer é viabilizar linhas de créditos para investimentos e investir na infraestrutura de turismo”. O governo de Mato Grosso, através do Prodetur, já conseguiu a autorização para investir R$ 350 milhões em infraestrutura turística para que o trade turístico se sinta confortável em investir em bares, restaurantes, hotéis e pousadas.

O diretor de Assuntos Estratégicos da Agecopa, diz que o crescimento econômico de Mato Grosso, que gira em torno de 10% ao ano, já seria suficiente para atrair novos investimentos, como aconteceu recentemente com a compra do Hotel Odara pelo BHG S.A. – Brazil Hospitality Group, que passou a usar a marca Golden Tulip Pantanal. Ainda assim, a Agecopa está fazendo um estudo de viabilidade econômica para mostrar aos empresários do setor que “investir em hotel em Mato Grosso é um bom negócio”.

Além disso a Agecopa já entrou em contato com a Match, a empresa que trata das questões de hospedagem para a Fifa, e a proposta é fazer o mesmo que foi feito na África do Sul, usar os chamados Bed and Breakfast. Os B&B são casas de famílias que têm um quarto suíte e aluga esse quarto para período do evento, com café da manhã. A Agecopa irá qualificar e credenciar as casas que poderão receber turistas.

Também é pensamento em interiorizar o máximo, segundo Yuri Bastos. A Agecopa vai realizar estudos e mostrar a viabilidade de se hospedar fora do município sede, em cidades como Chapada dos Guimarães, Poconé, Barão de Melgaço, Jangada até mesmo Cáceres.

A rede hoteleira em Mato Grosso, até seis anos atrás, estava operando com uma ocupação em torno de 30% dos leitos disponíveis, insuficientes até para cobrir os custos de manutenção e atualmente já opera com uma ocupação, em período de alta temporada como a atual, de 80% dos leitos, o que é considerada ideal.

Com o crescimento econômico do Estado, o turismo de negócio também cresceu e a rede hoteleira vivencia esse bom momento, com aquisição de hotéis por grupos estrangeiros e investimentos em novas instalações.

Quanto ao Aeroporto Marechal Rondon, o governo de Mato Grosso já se pronunciou e vai fazer gestão junto ao governo federal para agilizar o início das obras de reforma e ampliação do mesmo. O governador Silval Barbosa vai conversar com o presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva e também com o presidente da Infraero – Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária, Murilo Marques Barboza, em Brasília, para mostrar que a situação é grave e provoca preocupações.

O não cumprimento dos prazos da Fifa pode gerar grandes prejuízos econômicos e sociais a Mato Grosso, prejudicar investimentos financeiros do Estado e comprometer todos os esforços feitos até agora pelo governo estadual. As previsões da Infraero são de possível operacionalização do aeroporto no mês de maio de 2013. Qualquer atraso neste prazo comprometeria a possibilidade de Cuiabá se candidatar como sede da Copa das Confederações.

Share Button