Ministro Carlos Lupi assina convênios para oferta de 10,2 mil bolsas do ProJovem Trabalhador em MT

O programa Projovem Trabalhador vai qualificar 10.200 jovens de seis municípios mato-grossenses, pelo prazo de seis meses, e ao final dos cursos pelo menos 30% deverão estar com a Carteira de Trabalho assinada. O convênio foi firmado em solenidade realizada no Palácio Paiguás, no Auditório Ponce de Arruda, nesta sexta-feira (05.08), pelo governador Silval Barbosa e o ministro do Trabalho e Emprego (TEM), Carlos Lupi, e prefeitos dos municípios beneficiados. Serão investidos mais de R$ 18,9 milhões.

O governador Silval Barbosa disse que o Estado de Mato Grosso vem trabalhando fortemente na qualificação das pessoas. “A qualificação é a melhor porta para se entrar no mercado de trabalho”, assinalou. Silval lembrou que ainda na semana passada assinou com a entidades do segmento produtivo, entre as quais a Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), (Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso (Famato) e Fecomércio, convênios para qualificar seis mil pessoas com foco a Copa do Mundo de 2014.

“Mato Grosso é o Estado que mais cresce. Cresce a uma taxa média de 10% ao ano”, destacou Silval. E para sustentar esse crescimento o Estado precisa qualificar o trabalhador para o mercado de trabalho. Ele citou que nesta sexta-feira esteve no município do Lucas de Rio Verde, que está comemorando 23 anos de emancipação política e nos últimos três anos vem tendo um crescimento 49% ao ano. O município está tendo problemas para encontrar mão de obra qualificada. “Se nós não prepararmos o trabalhador, vamos pagar um preço alto que é o de importar mão de obra qualificada”.

O ministro Carlos Lupi fez questão de frisar que “não estamos tendo custos, mas estamos fazendo investimentos” e Mato Grosso foi contemplado com 10,2 mil vagas porque é um “Estado referência. Estado produtivo, que cresce e contribui com 30% da balança comercial”.

Os cursos de qualificação, lembrou o ministro, são voltados para o mercado de trabalho e vai atender a demanda de cada cidade, que por força de lei, após a conclusão; 30% dos jovens qualificados vão ter de estar empregados, com carteira de trabalho assinada, mas em alguns estados tem acontecido de alcançar o índice de 60% empregados.

A secretária de Estado de Trabalho e Assistência Social, Roseli Barbosa, que vai ser a executora do Projovem Trabalhador em Mato Grosso, disse que objetivo do programa é preparar o jovem desempregado para o mercado de trabalho ou para outras atividades produtivas geradora de renda.

Os cursos terão uma carga horária de 350 horas e, por seis meses, os jovens vão receber transporte coletivo, material didático, uniformes e uma bolsa no valor de R$ 100 por mês. O jovem vai abrir uma conta no Banco do Brasil ou Caixa Econômica para receber esse valor.

O municípios que vão receber o programa são Cuiabá e Várzea, com 3 mil vagas; Rondonópolis, com 3 mil vagas; Lucas do Rio Verde e Água Boa com 500 vagas cada para cada município e Jaciara com 200 vagas. A Setas vai qualificar ainda 5 mil jovens.

O senador Pedro Taques, um dos principais artífices para assinatura do convênio, ressaltou que Mato Grosso, por seu crescimento, precisa formar e qualificar de maneira continuada para que não haja o chamado apagão de mão de obra.

Estiveram presentes os secretários de Estado José Lacerda (Casa Civil), Francisco Vuolo (Selit), César Zílio (SAD), Pedro Nadaf (Sicme); os deputados federais Homero Pereira e Wellington Fagundes; os deputados estaduais Zeca Viana, Carlos Avalone e Luciene Bezerra; o procurador-chefe da Procuradoria Regional do Trabalho, Tiago Alves Ribeiro, os prefeitos Francisco Galindo (Cuiabá), José Carlos do Pátio (Rondonópolis); lideranças empresariais e comunitárias.

Fonte: Secom

Share Button