Mudança – poema de João Bosquo

Luto – como é duro lutar – dentro de mim
Contra esse EU que resiste a todas as lutas…
Todos os dias, de todos os séculos, a luta
Acontece sem tréguas e volta e meia perco…

A difícil luta começa contra o egoísmo
Depois contra sua irmã, a vaidade
E nos fazem pensar que somos lutadores

E me perco lutando ‘por um país mais justo’,
‘uma sociedade solidária’, ‘paz nas escolas’
e nas cidades ao lado de outros lutadores…

Enquanto sei que nada posso mudar
Senão o EU que teimosamente teima
Em querer continuar sendo ele mesmo.

><>A Oração da Serenidade, atribuída a São Francisco de Assis, pede “Concedei-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras”; e é mais ou menos isso que quero dizer neste poema.

Share Button