Novo telescópio coloca alunos mais próximos do espaço

A astronomia amadora em Mato Grosso vai ganhar mais um importante instrumento de observação a partir de setembro. O astrônomo Eduardo Baldaci de Lima, ouvidor Geral da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), já foi oficialmente comunicado da doação de um telescópio para a aSsociação para o Progresso da Astronomia, Cidadania e Educação (Space), entidade sem fins lucrativos e tem como missão – como diz o próprio nome – divulgar e difundir a astronomia visando a cidadania e educação.O astrônomo amador Eduardo Baldaci não esconde a satisfação e destaca os avanços que vai se conseguir com o novo aparelho. Ele visita as escolas e leva o seu telescópio para que os alunos possam, junto com a palestra, ter uma visão holística do universo e interagir, inclusive, de forma mais harmônica com o nosso planeta, com respeito à natureza da qual fazemos parte.

Para se ter uma ideia desses avanços, Baldaci destaca o fato do telescópio atual ter uma distância focal de 1 metro, que possibilitar ter uma ampliação de 200 vezes da lua. O novo aparelho tem uma distância focal de 3 metros e possibilita a ampliação de 660 vezes. Além disso, o telescópio já tem GPS, reconhece a cidade que se está e acompanha o objeto – lua, planeta, estrelas ou nebulosas – observado. Eduardo Baldaci diz que com essa tecnologia as aulas vão ganhar uma dinamicidade, pois não precisar mais ficar ajustando manualmente o aparelho. “Ele acompanha a rotação da terra e o corpo celeste em observação não sai do foco”, explica.

O novo telescópio também vai possibilitar que se faça registros fotográficos e assim abrir novos campos para a pesquisa e estudo do universo, enriquecendo as palestras ministradas aos alunos.

O telescópio está sendo doado pela Celestron Telescopes – empresa americana, sediada em Los Angeles (EUA). Eduardo Baldaci já foi convidado para conhecer três observatórios, sendo dois deles o de Monte Wilson e da Nasa, em Passadina, onde está localizado o laboratório de imagens que são recebidas via rádio. “Vou aproveitar da viagem para levar um material de divulgação e convidar os astrônomos americanos para nos visitar e conhecer o céu de Chapada dos Guimarães”.

A instalação de um observatório é um projeto pessoal – como legado de vida – e ganha importância já que Cuiabá não tem nenhum observatório no qual as pessoas possam interagir com o universo. Só para se ter uma noção, São Paulo tem 13 observatórios municipais.

Fonte: Secom-MT

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR

Você pode gostar...