O Conselho Municipal de Cultura da Cuiabá 300 será escolhido dia 10, segunda-feira

Enquanto a escolha do Conselho Estadual segue enrolada, em Cuiabá a classe artística elogia a transparência e a agilidade do processo

Por João Bosquo | A Eleição para o Conselho Municipal de Cultura de Cuiabá caminha para ser uma eleição exemplar. Nada de confusão, nada de não entendi o edital, nada de nada que possa sofrer correções que não corrigem o essencial reclamado pela classe artística, como está sendo a traumática escolha dos conselheiros do Conselho Estadual de Cultura.

Olha que, o regimento para escolha dos conselheiros municipais foi publicado no último dia 26 de junho, menos de um mês e já no próximo dia 10, segunda-feira, teremos a eleição para escolha daqueles que vão compor o Conselho Cultura que vão estar intimamente ligados às ações e a política cultural do município, voltada para os 300 anos de fundação de Cuiabá.

O calendário, pelo que pudemos apurar, está sendo cumprido à risca para não haver “diz que me diz que”. A segunda reunião preparatória para o pleito do dia 10, aconteceu na tarde desta segunda-feira, 3, no auditório da Advocacia Eduardo Mahon. Essas reuniões – conforme o regulamento do Regimento Eleitoral – são, na verdade, a primeira fase do processo eleitoral, nas quais são escolhidos os candidatos a membro do Conselho Municipal de Cultura e os delegados que voltaram na segunda fase do colégio eleitoral.

Nessa primeira etapa, serão escolhidos três candidatos e 10 delegados de cada segmento que irão votar na segunda etapa. São sete segmentos: Música, Audiovisual, Artes Visuais, Cultura Popular, Folclore e Artesanato, Artes Cênicas, Literatura e Humanidades e Patrimônio Histórico; e três candidatos e dez delegados das entidades da sociedade civil. Pois bem, esse colégio eleitoral de no mínimo 104 eleitores, formado por candidatos e delegados, irá eleger três representantes titulares e três suplentes dos artistas e produtores culturais e três representantes titulares e suplentes das entidades da sociedade civil.

Não existe possibilidade de se eleger dois representantes do mesmo segmento, pois o eleitor é obrigado a votar em três candidatos, não pode votar em dois representantes da mesma área.

Eduardo Espíndola, integrante do atual Conselho Municipal de Cultura e membro da Comissão Eleitoral, explicou como se dará o processo e quais as obrigações e os impedimentos impostos aos membros do CMC. A mais dramática é o impedimento de se apresentar projetos. Mesmo contrariado, o escritor, ator e professor, Luiz Renato de Souza Pinto, um dos contemplados com o prêmio de Literatura em 2015, vai encabeçar a lista os indicados. Os outros dois são os escritores Cristina Campos e Aclyse Mattos.

Cybelle Bussiki, também membro da Comissão Eleitoral, diz que a tendência é escolher bons conselheiros, responsáveis com relação aos projetos culturais. Segundo ela, o processo de escolha dos conselheiros que está sendo realizado em Cuiabá é bastante inclusivo e está sendo “bem compreendido, diferentemente ao do Estado”. Ela destacou ainda o fato que este novo conselho será o Conselho dos 300 anos de Cuiabá

O secretário de Cultura de Cuiabá, Francisco Vuolo, anteriormente declarou que a mecânica estabelecida visa a democratização do processo de escolha definida em comum acordo com o prefeito Emanuel Pinheiro.

Assim está sendo cumprido o cronograma eleitoral. A comissão eleitoral tem agora o prazo até 17 horas de sexta-feira, 7, para a entrega do ofício de encaminhamento com a lista de delegados e candidatos no protocolo geral da Prefeitura Municipal de Cuiabá para que se faça, no dia 10, a da plenária de apresentação dos candidatos e eleição, que vai acontecer das 8 às 18 horas na Sede do CMC, antigo Clube Feminino.

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR
nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...