O governo federal promete endurecer também com os idosos pobres e deficientes: benefício assistencial só depois dos 70 anos

><>O governo Michel Temer promete não dar folga pra ninguém. Além da desvinculação do salário mínimo o benefício assistencial que a Previdência paga a idosos e deficientes de baixa renda, já estuda em elevar a idade mínima exigida para o acesso ao benefício dos atuais 65 para 70 anos, ou seja depois de morto o benefício será pago.

Esse benefício que tem a sigla BPC, de Benefício de Prestação Continuada é destinado a idosos e pessoas com deficiência com renda familiar per capita inferior a 25% do salário mínimo e equivale a um salário mínimo.

Veja como raciocina o governo usurpador: como o benefício tem caráter assistencial e não exige contribuição, o governo acredita que as pessoas vão recorrer a esse benefício em vez de pagar a Previdência, se o Congresso [no nosso caso os deputados Adilton Sachetti (PSB), Carlos Bezerra (PMDB), Ezequiel Fonseca (PP), Fábio Garcia (PSB), Nilson Leitão (PSDB), Ságuas Moraes (PT), Valtenir Pereira (PMDB) e Victório Galli (PSC); e os senadores Blairo Maggi, José Medeiros e Wellington Fagundes.] aprovar as reformas propostas que tornam as regras para aposentadoria mais ‘severas’, para não usar outra palavra.

A proposta do governo estabelece idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de homens e mulheres e pelo menos 25 anos de contribuição com a Previdência.

Meu Peixe, está, como é de seu perfil, estupefacto, pra dizer o mínimo.

Share Button