O multiartista popular Antônio Nóbrega apresenta sua aula-espetáculo hoje na UFMT divulgando os editais do Rumos Itaú Cultural

(Da Reportagem do DC) O projeto “Rumos Educação, Cultura e Arte”’, em parceria com a Coordenação de Cultura da Pró-Reitoria de Cultura, Extensão e Vivência da UFMT (Procev) oferece espetáculo com o músico e dançarino Antonio Nóbrega. A apresentação acontece nesta terça-feira (29), às 20h, no Teatro da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) com entrada franca e classificação indicativa de 16 anos.

O músico e dançarino Antonio Nóbrega apresenta a aula-espetáculo intitulada ‘’Mátria: Uma Outra Linha de Tempo Cultural’’, com canções, danças e peças instrumentais. Os ingressos serão disponibilizados na portaria do Teatro Universitário meia hora antes do espetáculo. O músico e dançarino Antonio Nóbrega apresenta a aula-espetáculo intitulada ‘’Mátria: Uma Outra Linha de Tempo Cultural’’, com canções, danças e peças instrumentais.

Ele concebeu sua aula-espetáculo exclusivamente para o Rumos Educação, Cultura e Arte do Itaú Cultural, com o objetivo de divulgar, em todo o país, o novo edital deste programa. O evento é aberto ao público e tem 1h20 de duração, com canções, danças e peças instrumentais entremeadas por considerações sobre uma linha do tempo cultural brasileira de prevalência não europeia e de extração popular.

Nóbrega mesclou obras da tradição oral e autorais, como sambas de Nelson Cavaquinho e Candeia, canções de Caymmi e dele próprio, peças coreográficas sobre música de Bach, entre outras. Tanto em sua forma quanto em seu conteúdo, procura harmonizar o discurso com a performance e o conceito com a emoção.
Nóbrega traz considerações sobre a cultura brasileira e a européia, além das peças do samba, da tradição oral e da música clássica. Um dos focos do artista é o equilíbrio entre o que seria o tipo de pensamento masculino, o discurso, o conceito, e o que seria o feminino, a sensibilidade e emoção.

Segundo o artista, “o sistema em que vivemos é de tessitura masculina, daí a necessidade de levarmos em conta outra linha de tempo cultural, onde valores femininos são mais operantes, para incorporar o melhor das duas tradições”.

O espetáculo começou no último dia 23, em Vitória, Espírito Santo e percorrerá várias cidades do país, sendo a última apresentação no dia 16 de junho em Rio Branco, Acre.

O projeto busca apoiar a formação de profissionais que desenvolvem, em todo o país, propostas diferenciadas nos campos da cultura e da arte por meio da educação não formal. Pretende-se contribuir para a continuidade e o aperfeiçoamento das ações existentes e para a criação de outras práticas de convergência entre cultura, arte e educação.

Leia mais clicando aqui.

Fonte: Diário de Cuiabá

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR

Você pode gostar...