O natal vem vindo devagar, vagamente

O natal vem vindo devagar, vagamente
Chega, depois de doze meses, no natal…
-Sempre, no natal

Meu desejo é que o natal se instale
Em nossos corações e permaneça
Com seu sentido pleno, completo
Desde o nascimento do Menino Jesus

Meu desejo, meus amigos*,
É que espírito de natal nos domine
De hoje até o final da galáxia
Quando finalmente começa
O outro amanhecer…

Feliz Natal, a todos vocês…
Não vou citar nenhum nome
Minha memória esconde meu afeto
E meu comportamento desafeto
Não me leva em consideração

Este natal vai embora, outro virá
No natal que vem e sempre desejo: Feliz Natal!

><>* Não vou nominar ninguém, mas vc que é meu amigo, por favor, sinta-se contemplado neste poema… Assim como também aos novos amigos que virão.

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...