O Poema Que se Pede

para Adriana Zelaya

Veja, o poeta se mete em enrascadas
Quando pessoas pedem um poema
Ele não sabe dizer não – bem feito –
E a poesia não se assusta de emergência

O poema – mesmo de estrutura simples
Sem rimas de valor estimado
Ou de prestígio duvidoso –
Não se encontra na esquina
Tampouco se saca num caixa eletrônico
Duma agência poética de plantão 24 horas

O que vale é a musa bem humorada
Morando entre a floresta e a metáfora
E proporciona um sopro de inspiração
Que nos zela, pelo ritmo, a escrever…

28/03/2013

><>Publicado originalmente no blog Poemas de João Bosquo

Share Button