Observação do peixe em torno de si mesmo – poema do livro “Sonho de Menino é Piraputanga no Anzol”

O peixe no seu eterno mergulho
tenta através do antiespelho
decifrar este outro mundo

Por vezes, quando a solidão é tanta
encanta com o anzol…
A luz do sol não desfaz a dor

Ah!, pena que são só nadadeiras
não possuir asas é um suplício
e ser peixe somente peixe e diz:

– Meu poder é conhecer o rio, apenas
nem o mar eu posso
pois outras águas
são para outros peixes.

><>Poema integrante do livro “Sonho de Menino é Piraputanga no Anzol”. Se vc quiser receber uma cópia (com dedicatória) e-livro basta escrever.

Share Button