Poema Só, poesia de João Bosquo

Pela porta
saiu o homem
da casa

Pela boca
saiu a solidão
do homem

A casa
sem o homem
ficou mais solitária

O homem
sem a solidão
ficou mais sozinho.

><>Do livrinho “Outros Poemas” (1981) edição mimeógrafo, sob o selo das Edições Namarra, com apoio da Comissão Municipal do Mobral, da qual Manoel Agostinho de Sousa era coordenador.

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...