Primeira Vez

Da primeira vez, solitário e triste,
Que me vi, como num espelho,
Tentei um sorriso e meio
E quis enganar-me aos olhos…

Da segunda vez, embora triste,
Um tanto quanto solitário e só,
Busquei dentro de mim
Uma lenda e lembrei-me de você…

Da terceira vez, solamente
Quase uma semente, vi
Atrás da íris quando estava

Frente ao espelho – olho no olho –
Que possível ser só e triste
Mas sem medo, essencialmente.

2006
Poemas de João Bosquo
Share Button