Projeto da Arena Pantanal é um dos três primeiros aprovados pelo BNDES ProCopa

A Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo Pantanal – FIFA 2014 (Agecopa) tem o seu projeto de construção da Arena Pantanal pelo BNDES ProCopa Arenas, programa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) para financiar a construção ou reforma dos estádios da Copa 2014. Mato Grosso sai na frente, junto com os estados da Bahia e Ceará – os primeiros a terem os projetos aprovados – e vai receber R$ 393 milhões de empréstimo, que corresponde a 74% do investimento total. A informação é da assessoria do BNDES.

A Arena Pantanal terá capacidade para 42 mil espectadores, o que o credencia como sede em potencial para jogos de quartas de final do torneio (as normas da FIFA exigem um mínimo de 40 mil lugares). A construção seguirá o mesmo conceito de estádios flexíveis que foi utilizado nos projetos da Arena Olímpica de Basquete e do Estádio Olímpico de Londres, empreendimentos construídos para as Olimpíadas de 2012.

Dessa forma, parte das arquibancadas poderá ser removida ao final da Copa e reinstalada em outros empreendimentos. Passada a competição, a capacidade da Arena poderá ser reduzida para 27 mil espectadores, possibilitando diminuição dos custos de manutenção do equipamento.

Também contribuirão nesse sentido alguns aspectos do projeto relacionados à sustentabilidade, tais como a adoção de padrões de eficiência energética e a captação e reuso de água das chuvas, medidas que devem gerar, respectivamente, economia mínima de 10% e 20%.

A assessoria do BNDES, lembra que Mato Grosso figura como beneficiário do financiamento do BNDES, pois o empreendimento é uma obra pública realizada nos termos da Lei 8.666/93. As obras já estão licitadas, contratadas e em fase de execução. Estima-se que nessa etapa serão gerados, de forma direta e indireta, 4 mil empregos.

O projeto está alinhado com o Plano de Desenvolvimento do Estado do Mato Grosso (MT+20), que contempla, entre seus eixos estratégicos, a melhoria da qualidade de vida através da geração de emprego e renda e da promoção da cultura, do esporte e do lazer; e a ampliação da infraestrutura econômica e da competitividade, por meio do desenvolvimento do turismo.

(Com Assessoria BNDES)

Share Button