Promotora pede prisão de Alan Malouf, ex-tesoureiro da campanha de José Pedro Taques; juíza nega

><>A juíza Selma Rosane dos Santos , da 7ª Vara Criminal, não aceitou o pedido de prisão preventiva do ex-coordenador financeiro da campanha do governador José Pedro Taques, em 2014, o empresário Alan Malouf.

O pedido de prisão foi feito pela promotora Ana Cristina Bardusco e classificou o empresário como agente de corrupção, lavador de dinheiro e de alta periculosidade.

Promotora diz que Alan Malouf é contumaz em crimes do colarinho branco

Antonielle Costa, Ponto na Curva – “Sem dúvida, as informações apresentadas ilustram ação contumaz por parte do empresário Alan Malouf em crimes do colarinho branco”.

A declaração é da promotora Ana Cristina, ao argumentar a necessidade de prisão preventiva do empresário, pedido esse que não foi acatado pela juíza Selma Rosane dos Santos, da 7ª Vara Criminal.

Ainda no pedido, a promotora destacou que o empresário tem projeção social por ser de família tradicional e de grande poder econômico, além disso que ele tem influência política no Estado, por ter atuado como coordenador financeiro da campanha do governador Pedro Taques (PSDB).

“Trata-se de empresário de sucesso, administrador de importantes empresas. Foi o coordenador financeiro da campanha vitoriosa do governador Pedro Taques em 2014, portanto, agente com enorme capacidade de articulação e prestígio, atributos que poderá utilizar com o propósito de dificultar a elucidação dos fatos em investigação. Desnecessário ressaltar que poderá utilizar de seu prestígio pessoal, empresarial, financeiro e até político para obstruir a presente apuração e, intimidar os agentes que apontam sua fundamental participação na noticiada lavagem”, afirmou a promotora.

Leia mais no saite  Ponto na Curva.

 

 

Share Button