Reamanhecer

Morri e aqui estou
Neste corpo que nunca foi meu
Nem a outra pessoa pertenceu
Mesmo quando muito amei
Se amar eu não pude
Como fora minha intenção

Morto da silva
Estou esperando (quem sabe)
Um beijo que me adormeça
E faça sonhar menos
Fora destes pesadelos
Que não se dissipam
Nem que eu desligue as luzes

Encontro-me morto e só
E sozinho converso
Tentando o dia
Que a solidão inventou
De quebrar as vidraças
E deixar entrar o ar
Pelas minhas narinas

Meu corpo levanta
Abre as portas e janelas
A vida invade minha casa
Como quem não quer nada
Mostra-me a paisagem…
– Vou embora pássaro.

Publicado no jornal O Estado de Mato Grosso, em 21 de julho de 1985
Poemas de João Bosquo
Share Button