Roseli reafirma em Brasília compromisso de MT com a igualdade

Brasília (DF) – A presidenta Dilma anunciou a extensão da complementação da renda do Bolsa Família com objetivo de alcançar os últimos – últimos – 2,5 milhões de brasileiros que permaneciam em situação de extrema pobreza. Dilma, no discurso de apresentação das novas medidas do Plano Brasil Sem Miséria, destacou que inclusão desses 2,5 milhões de pessoas não significa que a miséria extrema acabou. Significa apenas que aquelas pessoas que estavam no Cadastro Único para Programas Sociais deixam a linha de pobreza e agora o poder público tem obrigação de localizar aquelas pessoas em situação de miséria mas estão invisíveis aos olhos do Estado.

O Estado de Mato Grosso, desde o lançamento do programa Mato Grosso Sem Miséria, quando aderiu ao Plano Brasil Sem Miséria, do governo Federal, já resgatou mais de 64 mil pessoas que estavam abaixo da linha da pobreza ou em situação de miséria extrema, destacou a secretária de Trabalho e Assistência Social (SETAS), Roseli Barbosa, após o anúncio de novas medidas pela presidenta Dilma Rousseff, nesta terça-feira (19.02), em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, DF.

Durante sua fala Dilma destacou a importante parceria dos Estados – todos os Estados – na execução do Plano Brasil Sem Miséria. Roseli Barbosa lembra que o governo Silval Barbosa, por meio da Setas, sempre desenvolveu ações de combate às desigualdades sociais e com o Brasil Sem Miséria essas ações foram intensificadas, com programas como o Panela Cheia, cujo foco é semelhante as novas ações do Brasil Sem Miséria.

Roseli destaca ainda que a assistência social atualmente tem outro perfil – se antes as famílias buscavam um sacolão – agora buscam qualificação para poder se incluir no mercado de trabalho. Além das escolas do Pronatec, o Estado vem desenvolvendo programas voltado para a qualificação de jovens, como o ProJovem Trabalhador, entre outros tantas ações nos mais diversos segmentos.

As medidas anunciadas pela presidenta Dilma Rousseff tem como base a inclusão de mais 2,5 milhões de pessoas no bolsa família, totalizando, assim, mais de 22 milhões de brasileiros que superaram a miséria.

Num rápido histórico, o Brasil tinha em 2011 36 milhões de pessoas no cadastro único que estavam na miséria caso sobrevivessem apenas com sua renda familiar. Com o Bolsa Família 14 milhões de pessoas deixaram essa condições. O Brasil, a partir do governo Lula, enfrentou essa situação. Dilma disse que hoje o Brasil detém uma “tecnologia” de combate a pobreza e já está exportando essa tecnologia para outros países.

Após o anúncio a secretária Roseli Barbosa retorna a Cuiabá para participar do Seminário Multiplicar que segue até esta quarta-feira (20.03), com participação de prefeitos, primeiras-damas e secretários municipais de assistência social.

Share Button