SeduSamba, formada no CPA 4, agora é Mato Grosso

A banda está no mercado musical e chega a se apresentar até 27 vezes por mês com sucesso crescente

A banda SeduSamba surgiu em meados de 2005, de forma meio que despretensiosa, resultado de roda de samba de amigos de finais de semana, no bairro CPA IV, entre os quais Juninho do Cavaco, que decidiu encarar a carreira profissional e junto com Fábio Bill, que era vocalista de outra banda (‘outra banda’, que até prova em contrário, é a maior banda do Brasil, vamos combinar) e saiu para formar a galera do SeduSamba e estão juntos até hoje, portanto 11 anos de entrosamento e muito samba.

Juninho do Cavaco, diz que nesses onze anos de atividade a banda SeduSamba já teve 3 formações. “A mais recente em 2013. A nossa ”família” atual é formada por excelentes músicos sendo eles, Fabio Bill, vocalista; eu, no cavaquinho; Yasllan Costa, Higor Reis e Renato Brow, na percussão, e Jonil Arruda, violão”, destaca Juninho.

Juninho conta que começou como músico o tempo que tem de banda. “Me identifiquei com a galera do bairro, começamos a tocar nos finais de semana, na escola” – e ele não parou mais. Além da banda, ele dá aulas de violão, na comunidade. Ele conta que é autodidata e depois de um tempo fez alguns aperfeiçoamentos, cursos com o professor Fabiano, da Casa da Cultura, Clau, entre outros. “Estou sempre estudando para aprender mais, até mesmo para poder ensinar melhor”, afirma.

O sucesso da banda, Juninho acredita que se deve ao “comprometimento com o trabalho, sem passar por cima de ninguém. Em 2006 gravamos nosso primeiro CD e atualmente temos três discos já gravados. O de 2006 gravamos em São Paulo, logo após que perdemos um integrante da banda, o Rodrigo, em acidente de moto. Nessa primeira formação tinha o Jhonatan e Welligton. Na segunda formação saem Welligton e Jhonathan e entram Lucas e Adriano. Em 2012, montamos o grupo que segue atualmente”.

A banda tem uma programação fixa, há mais de dois anos, se apresenta todas as quartas-feiras no Pátio Bar, na avenida Miguel Sutil, em Cuiabá, onde fazem uma da roda de samba com convidados, recebem grupos de lambadão ou outros grupos de pagode.

“Esse encontro já virou um ponto de encontro dos pagodeiros, depois do futebolzinho, as pessoas comparecem no Pátio Bar pra tomar aquela geladinha para descontrair e ouvir um pagodinho”, conta.

Fora… já ia escrever #foratemer. Fora essas apresentações das quartas-feiras, o SeduSamba chega a fazer em média de 25 a 27 shows, o que traduz um baia sucesso. “Normalmente, começamos na quarta e vamos até o domingo. Tocamos bastante em festas particulares, como aniversario, festas de empresas, churrasco entre amigos. Às vezes tocamos em mais de um lugar por noite”, conta.

Juninho avalia que Cuiabá não possui muitas casas de pagode, e além do Pátio, se apresenta no Arizona, no Pagode do Santa Helena, e no Top Fest, no Grande Terceiro.

“Este ano, no carnaval, fizemos shows em Chapada com o bloco Beijo me Liga e na festa CarnaMix. Em Cuiabá, nos apresentamos no Mosteiro Bar, em Barão de Melgaço fizemos o Bico Doce e também fizemos show em Poconé”.

No ano passado, para comemorar os 10 anos da banda, houve um evento no Musiva. “Foi um show de casa cheia, com mais de três mil pessoas, com os grupos Pixote e Ferrugem, que é o fenômeno do pagode da atualidade e nós abrimos a noitada”. Em termos nacionais, o Sedusamba já se apresentou na conceituada casa paulistana Terra Brasil e, no Rio de Janeiro, no Bar da Brahma.

Quanto o repertório, Juninho, diz que a banda tem músicas próprias como “Brigar pra que?”, composição de Fábio Bill e “Não foi por falta de Amor”, de Bruno Carvalho, de São Paulo, que escreveu especialmente para o grupo. “Ambas estão fazendo bastante sucesso. Também tocamos um pouco de swingueira que a galera gosta e como estamos em Cuiabá, não poderia faltar o sertanejo, no nosso show”.

Como professor, Juninho atualmente tem 12 alunos, lá na Morada da Serra, todos adolescentes. Se alguém se interessar de participar de aulas com ele, pode procurar o Centro Comunitário dobairro CPA 4, nas segundas e sextas feiras. Para mais informações 065 99286-8339.

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...