Semelhanças [II]

Não procurai, portanto, a bondade
de Deus, se não compreendes a ti
se não compreendes o próximo de ti
o mais próximo de ti no outro lado do mundo

A bondade de Deus, parte de dentro
de nós, sempre, rumo a todos os cantos
a todos os universos, rumo ao infinito
dos corações no coração de Deus

Se de repente, ao acordar,
descobrimos que estamos em Deus
assim como ele está em nós
seremos capazes de sermos semelhantes…

Semelhantes aos iguais capazes de tudo
de dar e receber – luz e pão, cor e veneno
amor e traição, carinho e medo
vinho e dor, flor e espinho na mesma porção

Se semelhantes somos, enquanto carne
Somos filhos do mesmo gen produzido pela terra
e ao pó retornamos, porque somos pó
e assim se dá com o espírito, sopro de Deus,
após o último alento do corpo humano.

Cbá, fevereiro a abril de 2003
Poemas de João Bosquo
Share Button