Sereno – Uma imitação de soneto de João Bosquo

Vamos fechar nossos olhos, procurar o sereno
Que se encontra nas partículas gotas da madrugada
E suavemente deitam nas gramas dos jardins,
Nos telhados, como um calmo lençol à forrar…

Quando tudo serenar, ao fechar nossos olhos,
Vamos olhar para dentro e ver que a alma ainda,
Sendo alma, procura o ponto ideal de equilíbrio

Serenar os ânimos em favor de tudo e todos
Vamos olhar para fora de nós e ver o que ainda
Está sendo trabalhado para a harmonia final…

Vamos fechar os olhos e abrir as portas, perenes
Portas do coração, e deixar esse ar do amanhecer
Penetrar suavemente nos poros, como um fluído
Vivo, alentar a alma e deixar o corpo descansar.

Share Button

João Bosquo

João Bosquo, poeta e jornalista, editor deste blogue NAMARRA.COM.BR nas redes sociais: @joaobosquo

Você pode gostar...