Sérgio Cabral, governador do Rio, assume o papel de alarmista e diz que a Copa 2014 e Olimpíadas 2016 correm risco

Os nossos políticos precisam parar de fazer declarações ‘dramáticas’, ‘catastróficas’ quando mexem com orçamento de sua cidade ou estado. O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, por exemplo, disse que a Emenda Ibsen Pinheiro, que altera as regras de distribuição de royalties do petróleo põe em risco a realização da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

“Essa emenda inviabiliza completamente tudo. O estado para. A garantia acabou. Inviabiliza as Olimpíadas e inviabiliza a Copa do Mundo. O estado não terá recursos “, disse Cabral.

O governador, parece um ator de cinema, que chegou a chorar ao falar das perdas para o estado durante palestra na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), na última quinta-feira (11).

Todos sabem, que o Rio vai sediar as Olimpíadas e será palco ou da abertura ou encerramento da Copa do Mundo. Sempre se dá um jeito. Administrar com dinheiro é fácil. O bom gestor tem que mostrar sua capacidade é com poucos recursos, coisa que o Rio a muitos anos não vem tendo.

De acordo com o o governo, com a aprovação da emenda o Rio ficará sem R$ 7 bilhões por ano. O governo estadual terá R$ 5 bilhões a menos de participações especiais, quantia superior aos investimentos realizados no ano de 2009, que ficaram em torno de R$ 3 bilhões.

Da Redação, com material da ABr

Share Button