Silval Barbosa fala da economia de Mato Grosso aos participantes da reunião do Mercosul

O governador Silval Barbosa recepcionou nesta quarta-feira (17.10) os membros participantes da LXXXIX Reunião Ordinária do Grupo Mercado Comum (GMC), que acontece em Cuiabá desde terça-feira e vai até quinta-feira. O GMC é o gestor executivo do Mercado Comum do Sul (Mercosul) e integrado por representantes dos Ministérios das Relações Exteriores, de Economia e dos Bancos Centrais dos países integrantes do bloco. Nas palavras do Embaixador Antônio José Ferreira Simões, coordenador dos trabalhos em Cuiabá, numa comparação com as empresas, o GMC é o grupo de executivos de uma empresa que faz a empresa funcionar.

A reunião do GMC acontece em Cuiabá por uma iniciativa do governador Silval Barbosa que sugeriu a capital como local e foi aceita pelo Governo Federal, através do Itamaraty, numa proposta para mostrar o Brasil de outro ponto de vista e fugir do eixo Rio-São Paulo-Brasília.

“Queremos registrar o nosso agradecimento, embaixador Antônio Simões, por ter aceito o nosso convite para realizar esse encontro na nossa capital que reputo da maior importância”, disse Silval Barbosa ao abrir sua fala aos participantes da reunião. Ele fez um rápido balanço do processo econômico o qual estado passa na última década, com índices de crescimento semelhante ao chinês. Lembrou que Mato Grosso possui o maior rebanho bovino do país, maior produtor de grãos, com destaque para a soja e o milho e responde por 50% da produção de algodão.

Silval destacou a importância do evento acontecer em Mato Grosso, pois além do debate sobre questões macroeconômicas entre os países, a oportunidade de discutir os pontos específicos do Estado dentro do contexto do Mercosul como do comércio, problemas de fronteira seca, de sanidade animal entre outros.

O governador destacou ainda o fato de poder mostrar aos participantes o vigor da economia mato-grossense, as oportunidades nos diversos segmentos e o potencial em outros, como a exploração de minério, que depende da logística.

O embaixador Antônio Simões disse que a reunião do GMC é para discutir todos os pontos relacionados com a integração produtiva e como o Mercosul pode ajudar na industrialização dos países do bloco. Como exemplo dessa integração, o embaixador usando de informação passada pelo governador em sua fala de abertura, disse que se “Mato Grosso precisa de muito fertilizante de ureia e durante a reunião acabamos de ver que a Venezuela tem grande disponibilidade de ureia, precisamos estabelecer como fazer esse intercâmbio se tornar realidade para que a produção aumente, as riquezas venham e que a vida das pessoas possa melhorar”, destacou.

Quanto a escolha de Mato Grosso para sediar a reunião, Antônio Simões disse que o Estado é muito importante por conta de sua grande fronteira com os países da Bolívia e Paraguai. “É um Estado onde as relações exteriores são muito importante, por isso é fundamental termos uma reunião do Mercosul para discutirmos os pontos apresentados pelo Governo que vão enriquecer o debate”.

A reunião acontece no Hotel Deville, com participação de representantes das embaixadas do Brasil, Argentina, Uruguai e Venezuela.

Share Button